Prospecção Tecnológica: Aplicação de Punica Granatum (Punicaceae) em Produtos Medicamentosos e Alimentícios

Authors

  • Angélica Gomes Coelho Faculdade Integral Diferencial (FACID-DEVRY)
  • Thuany Cristiny Batista Feitosa Faculdade Integral Diferencial (FACID-DEVRY)
  • Ramon Carvalho Campos Faculdade Integral Diferencial (FACID-DEVRY)
  • Ana Cristina Sousa Gramoza Vilarinho Universidade Federal de Pernambuco
  • Francisco Valmor Macedo Cunha Universidade Federal do Piauí.
  • Lívio César Cunha Nunes Universidade Federal do Piauí.

DOI:

https://doi.org/10.7198/geintec.v7i4.968

Keywords:

Punica granatum, patentes, uso terapêutico

Abstract

Punica granatum ou romãzeira é uma planta de uso popular que possui forte atividade antioxidante, o que lhe confere propriedades anti-inflamatória, antiparasitária, cicatrizante, dentre outras. O objetivo deste estudo foi averiguar os produtos farmacêuticos ou alimentícios à base de romã através de prospecção tecnológica do tema. Efetuou-se busca de patentes nas bases de dados do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), Escritório Europeu de Patentes (EPO), Escritório de Patentes e Marcas dos Estados Unidos (USPTO) e Organização Mundial de Propriedade Intelectual (WIPO), além da pesquisa de artigos indexados na base Science Direct. Os resultados mostram que o número de patentes foi crescente ao longo dos anos, nos quais a Coréia do Sul e o Japão apresentaram destaque, sendo a maioria das patentes depositadas por indústrias ou laboratórios privados, reinvindicando principalmente as atividades antimicrobiana, antiviral e anti-inflamatória, em diferentes formulações farmacêuticas. Desta forma, o campo para a utilização desta espécie vegetal é vasto podendo gerar um grande número de produtos tecnológicos.

Author Biographies

Angélica Gomes Coelho, Faculdade Integral Diferencial (FACID-DEVRY)

Graduada em Farmácia e Mestre em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Federal do Piauí e Especialista em Gestão da Assistência Farmacêutica pela Universidade Federal de Santa Catarina. Como pesquisadora, tem experiência nas áreas de Química de Produtos Naturais e Tecnologia de Medicamentos. Possui experiência profissional em farmácia comunitária e magistral e atualmente desempenha atividades no setor hospitalar, além da atuação como docente do Curso de Farmácia da Faculdade Integral Diferencial (FACID-DEVRY).

Thuany Cristiny Batista Feitosa, Faculdade Integral Diferencial (FACID-DEVRY)

Possui graduação em andamento em Farmácia na Faculdade Integral Diferencial. Tem experiência na área de análises espectroscópicas e cromatográficas na área de produtos naturais.

Ramon Carvalho Campos, Faculdade Integral Diferencial (FACID-DEVRY)

Possui ensino-medio-segundo-grau pelo Instituto Federal do Piauí Campus Floriano (2009) . Possui graduação em andamento em Bacharelado em Farmácia.

Ana Cristina Sousa Gramoza Vilarinho, Universidade Federal de Pernambuco

Possui bacharelado em Farmácia pela Universidade Federal do Piauí (2012), Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas pela UFPI (2015) . Atualmente é doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Inovação Terapêutica pela Universidade Federal de Pernambuco e pesquisadora do Núcleo de Controle de Qualidade de Medicamentos e Correlatos (NCQMC - UFPE). Tem experiência na área de Farmácia com ênfase em Manipulação de Medicamentos, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento de medicamentos e controle de qualidade.

Francisco Valmor Macedo Cunha, Universidade Federal do Piauí.

Fisioterapeuta formado pela Faculdade de Saúde, Ciências Humanas e Tecnológicas do Piauí (NOVAFAPI). Mestrando em Farmacologia com área de concentração em dor e inflamação pela Universidade Federal do Piauí (UFPI). Tutor à distância da disciplina Física aplicada às Ciências Biológicas pela Universidade Aberta do Piauí (UAPI/UFPI). Atua clinicamente na área de Fisioterapia musculoesquelética, respiratória e neurológica além de prescrição e confecção de órteses e palmilhas e readaptação funcional durante a protetização. Colaborador em pesquisas da Universidade Federal do Piauí. , atuando principalmente nos seguintes temas: atividade física, testosterona, glicemia, diabetes, treinamento físico, distúrbios metabólicos e suplementação alimentar, dor e inflamação e alterações posturais em crianças e adolescentes

Lívio César Cunha Nunes, Universidade Federal do Piauí.

Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal do Ceará (1996), habilitação em Indústria Farmacêutica pela Universidade Federal do Ceará (1997), mestrado (2000), doutorado (2008) em Ciências Farmacêuticas pela Universidade Federal de Pernambuco e pós-doutorado (2012) em tecnologia farmacêutica pela Universidade de Coimbra - Portugal. Professor Adjunto do Curso de Farmácia da Universidade Federal do Piauí, membro permanente do Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas e Ciências dos Materiais - Mestrado (UFPI) e do Programa de Pós-graduação em Biotecnologia - Doutorado (UFPI/RENORBIO). Bolsista de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora - DT 2012. Coordenador da Câmara Técnica em Inovação da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Piauí - FAPEPI. Editor Chefe do Boletim Informativo Geum (ISSN 2237-7387) e Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos - ABEC. Tem experiência na área de tecnologia farmacêutica e farmacoepidemiologia, com ênfase em uso, produção e controle de medicamentos. Atua principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento tecnológico e estudos de utilização de medicamentos.

References

Agência de Inovação Inova Unicamp. Pedidos de patentes cresceram 6,3% no Brasil em 2012, aponta INPI, Campinas, 2013. Disponível em: http://www.inova.unicamp.br/noticia/2318> Acesso em 16 de julho de 2016.

BEKIR, Jalila et al. Assessment of antioxidant, anti-inflammatory, anti-cholinesterase and cytotoxic activities of pomegranate (Punica granatum) leaves. Food And Chemical Toxicology, v. 55, p.470-475, maio 2013.

BEKIR, Jalila et al. In vitro anti-cholinesterase and anti-hyperglycemic activities of flowers extracts from seven pomegranate varieties. Industrial Crops And Products, v. 81, p.176-179, mar. 2016.

BRITO, T. B. M. et al. Composições farmacêuticas a base de extrato bruto do pericarpo de frutos de Punica granatum e seu uso como agente antimicrobiano, anti-séptico, adstringente e cicatrizante. Brasil Patente nº PI 0403722-7 A, Ago/2004 – Ago/2006.

CHINSEMBU, Kazhila C.. Plants and other natural products used in the management of oral infections and improvement of oral health. Acta Tropica, v. 154, p.6-18, fev. 2016.

DECLAN, NAUGHTON. Antimicrobial Composition. WO, Patente nº WO2008068533, Jun/ 2006.

FEDERMAN, S. R. Patentes: Desvendando Seus Mistérios. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2006.

HAGHIGHIAN, Mahdiyeh Khadem et al. Pomegranate (Punica granatum L.) peel hydro alcoholic extract ameliorates cardiovascular risk factors in obese women with dyslipidemia: A double blind, randomized, placebo controlled pilot study. European Journal Of Integrative Medicine, p.327-345, jun. 2016.

KAMALI, Mohammadali et al. Efficacy of the Punica granatum peels aqueous extract for symptom management in ulcerative colitis patients. A randomized, placebo-controlled, clinical trial. Complementary Therapies In Clinical Practice, v. 21, n. 3, p.141-146, ago. 2015.

LANTZOURAKI, Dimitra Z. et al. Comparison of the Antioxidant and Antiradical Activity of Pomegranate (Punica granatumL.) by Ultrasound-Assisted and Classical Extraction. Analytical Letters, [s.l.], v. 49, n. 7, p.969-978, 8 maio 2015.

LI, Yali et al. Punica granatum (pomegranate) leaves extract induces apoptosis through mitochondrial intrinsic pathway and inhibits migration and invasion in non-small cell lung cancer in vitro. Biomedicine & Pharmacotherapy, v. 80, p.227-235, maio 2016.

LÜ, Shaowa et al. The treatment of rheumatoid arthritis using Chinese medicinal plants: From pharmacology to potential molecular mechanisms. Journal Of Ethnopharmacology, [s.l.], v. 176, p.177-206, dez. 2015.

MOURA, Maria E. et el. Tendências E Possibilidades Do Registro De Marcas E Patentes: Análise Reflexiva. Rev enferm UFPE on line, Recife, v 8(supl. 1), p.2494-7, jul., 2014.

NUNCIO-JÁUREGUI, N. et al. Changes in quality parameters, proline, antioxidant activity and color of pomegranate (Punica granatum L.) as affected by fruit position within tree, cultivar and ripening stage. Scientia Horticulturae, v. 165, p.181-189, jan. 2014.

PAGLIARULO, C. et al. Inhibitory effect of pomegranate (Punica granatum L.) polyphenol extracts on the bacterial growth and survival of clinical isolates of pathogenic Staphylococcus aureus and Escherichia coli. Food Chemistry, [s.l.], v. 190, p.824-831, jan. 2016.

PEREIRA, J. B. A. et al. O papel terapêutico do Programa Farmácia Viva e das plantas medicinais. Rev. Bras. Plantas Med., v. 17, n. 4, p.550-561, dez. 2015.

ROGÉRIO, I. T. S. Levantamento etnofarmacológico de plantas medicinais na comunidade quilombola de São Bento, Santos Dumont, Minas Gerais. 2014. 75 f. Dissertação (Mestrado em Ecologia Aplicada a Conservação e Manego de Recursos Naturais) - Programa de Pós Graduação em Ecologia, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora.

SABINO, L. S. Caracterização da proteção à patentes como estímulo do desenvolvimento econômico. 2007. 172 f. Dissertação (Mestrado em Direito) - Universidade Católica de Brasília, Brasília, 2007.

SHAYGANNIA, E. et al. A review study on Punica granatum L.Journal of Evidence-Based Complemtary & Alternative Medicine, p. 1-7, ago. 2015.

TORRISI, Salvatore et al. Used, blocking and sleeping patents: Empirical evidence from a large-scale inventor survey. Research Policy, v. 45, n. 7, p.1374-1385, set. 2016.

Published

2017-12-27

Issue

Section

Management and Social Science