O processo de inovação no varejo

Authors

  • Cleber da Costa Webber Faculdade Meridional (IMED)
  • Mauro Sérgio Vanin Faculdade Meridional (IMED)
  • Eliana Andréa Severo Faculdade Meridional (IMED)

DOI:

https://doi.org/10.7198/geintec.v6i3.906

Abstract

O crescente interesse dos consumidores em matéria de inovação para o varejo devido ao surgimento de novas tecnologias possibilita uma constante transformação na relação entre o consumidor e o varejo. O objetivo deste estudo é descrever as inovações que estão ocorrendo em empresas que atuam no setor de varejo no Brasil, analisar quais inovações estão sendo utilizadas por essas organizações, relacioná-las com conceito de inovação, e compreender como ocorre o processo de inovação em empresas desse segmento. Foi organizada uma revisão de literatura sobre inovação no varejo e foram realizados dois estudos de caso com entrevistas em empresas de diferentes segmentos de varejo, Berlanda e Sephora. Assim, foi possível identificar o uso de tecnologias como ferramentas inovadoras para proporcionar novas experiências de compra para o consumidor e a importância das áreas de marketing e de tecnologia da informação, bem como do alinhamento dos canais de distribuição identificado como omnichannel.

Author Biographies

Cleber da Costa Webber, Faculdade Meridional (IMED)

Mestrando em Administração do PPGA da IMED.

Mauro Sérgio Vanin, Faculdade Meridional (IMED)

Mestrando em Administração do PPGA da IMED.

Eliana Andréa Severo, Faculdade Meridional (IMED)

Doutora em Administração. Professora do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Administração da Faculdade Meridional (IMED).

References

AFUAH, A. Innovation Management: strategies, implementation, and profits. New York: Oxford University Press. 2003.

ANCKAR, B. Consumer intentions in terms of electronic travel distribution: implications for future market structures. E-service Journal, v. 2, n. 2, p. 68-86, 2003.

ANGELO, C. F.; SILVEIRA, J. A. G.; SIQUEIRA, J. P. L. O comportamento de consumo nos supermercados. Pesquisa PROVAR–Programa de Administração de Varejo da FIA, 2001.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2010.

BARRETT, P.; SEXTON, M. Innovation in Small, Project-Based Construction Firms.

British Journal of Management, n. 17, p. 331-346. 2006.

BELL, D. R.; GALLINO, S.; MORENO, A. Inventory Showrooms and Customer Migration in Omni-channel Retail: The Effect of Product Information. Available at SSRN 2370535, 2013.

BERKHOUT, A. J.; HARTMANN, D.; DUIN, P. V. D; ORTT, R. Innovating the innovation process. Technology Management, v. 34, n. 3-4, 390-404, 2006.

CARVALHO, André Martins; FERREIRA, Marta Araújo Tavares; SILVA, Sandro Márcio da. Definição de temas tecnológicos para pesquisa e desenvolvimento. In: SIMPÓSIO DE GESTÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, 25, 2008, Brasília. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2008.

CHESBROUGH, H. (2012). Inovação aberta: como criar e lucrar com a tecnologia. (L. C. C. Q. Faria, Trad.). Porto Alegre: Bookman. (Obra original publicada em 2003).

CHESBROUGH, H. As novas regras de P&D. In: MELLO, C. C. (Trad.). Implementando a inovação. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007. p. 57-75.

CHURCHILL JR, G. A. Marketing: criando valor para os clientes. Saraiva, 2000.

COBRA, M. Marketing básico: uma abordagem brasileira. Atlas, 1997.

DALFOVO, O.; HOSTINS, C. A. Delineamento para aplicação do RFID na logística de supermercado como inteligência competitiva: supermercado Hostins. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, v. 4, n. 2, p. 23-48, 2010.

ETZKOWITZ, H.; LEYDESDORFF, L. Le “mode 2” et la globalization des systèmes d’innovation “nationaux”. Sociologie et sociétés, v. 32, n. 1, p. 135-156. 2000.

ETZKOWITZ, H. The evolution of the entrepreneurial university. International Journal of Technology and Globalisation, v. 1, n. 1, p. 64-77. 2004.

FORMAN, C.; GHOSE, A.; GOLDFARB, A. Competition between local and electronic markets: How the benefit of buying online depends on where you live. Management Science, v. 55, n. 1, p. 47-57, 2009.

GUIMARÃES, J. C. F. de; SEVERO, E. A.; SENNA, P. A relação entre inovação e a vantagem competitiva sustentável: trajetória e desafios. Espacios, S.i., v. 36, n. 12, p.1-1, jun. 2015.

JÚNIOR, S. da C. S., DE SOUZA, M. A. F., DA PASCHOA MANHÃES, J. V. Ferramentas de TI que Contribuem para as Operações e a Competitividade no Setor Varejista Brasileiro. Sistemas & Gestão, v. 9, n. 1, p. 104-113, 2014.

KOTLER, P. Princípios de Marketing. 12.ed. São Paulo, Pearson Prentice hall, 2007.

LAS CASAS, A. L. Marketing de Varejo. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

LIU, C.; FORSYTHE, S.; BLACK, W. C. Beyond adoption: sustaining online shopping. The International Review of Retail, Distribution and Consumer Research, v. 21, n. 1, p. 71-93, 2011.

LUBECK, R. M., WITTMANN, M. L.; FLORES BATTISTELLA, L. Electronic ticketing system as a process of innovation. Journal of technology management & innovation, v. 7, n. 1, p. 17-30, 2012.

LVMH.COM <http://www.lvmh.com/news-documents/news/sephora-lab-collaborative-innovation/>. Acesso em: 29 nov. 2015.

MACHADO, D. D. P. N. Organizações Inovadoras: estudo dos fatores que formam um ambiente inovador. In: RAI. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v.4, n.2, p. 05-28, 2007.

OECD - Organization for Economic Cooperation Development .Strategic Industries in a Global Economy, 1991.

OLSEN, T. O.;WELO,T. Maximizing product innovation through adaptive application of user-centered methods for defining customer value. Journal of Technology Management & Innovation, v. 6, n. 4, p. 172-192. 2011

PANTANO, E.; LARIA, G. Innovation in retail process: from consumers’ experience to immersive store design. Journal of technology management & innovation, v. 7, n. 3, p. 198-206, 2012.

PANTANO, E.; NACCARATO, G. Entertainment in retailing: The influences of advanced technologies. Journal of Retailing and Consumer Services, v. 17, n. 3, p. 200-204, 2010.

PIOTROWICZ, W.; CUTHBERTSON, R. Introduction to the Special Issue Information Technology in Retail: Toward Omnichannel Retailing. International Journal of Electronic Commerce, v. 18, n. 4, p. 5-16, 2014.

ROBERTSON, P. L.; CASALI, G. L.; JACOBSON, D. Managing open incremental process innovation: absorptive capacity and distributed learning. Research policy, v. 41, n. 5, p. 822-832, 2012.

RIGBY, D. The future of shopping. Harvard Business Review, v. 89, n. 12, p. 65-76, 2011.

SANTINI, A. G. Rfid-identificação por rádio freqüência. CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOTUPORANGA. São Paulo, v. 16, 2007.

SCHUMPETER, J. A. Business cycles. New York: McGraw-Hill, 1939.

SCHUMPETER, J. A. A teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

SEPHORA LAB, COLLABORATIVE INNOVATION. <http://www.lvmh.com/news-documents/news/sephora-lab-collaborative-innovation/>. Acesso em: 29 nov. 2015.

SEVERO, E. A.; CRUZ, M. R. da; DORION, E.; GUIMARÃES, J. C. F. de; PEREIRA, A. A. Estrutura organizacional das empresas inovadoras no Brasil. Espacios (Caracas), v. 33, p. 5, 2012.

SOUZA, M. G. et al. A transformação dos negócios na omniera. São Paulo: GS&MD – Gouvêa de Souza, 2015.

TIGRE, P. B. Gestão da inovação: a economia da tecnologia no Brasil. Rio de Janeiro:

Elsevier, 2006.

VAROTTO, L. F. História do varejo. GVexecutivo, v. 5, n. 1, p. 86-90, 2006.

YIN, R. K. Qualitative research from start to finish. Guilford Press, 2010.

ZAWISLAK, P. A. Contribuições para uma medida geral de inovação. In: ENANPAD, 32., 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2008. CD-ROM.

Published

2016-09-30

Issue

Section

Management and Social Science