O diagnóstico da inovação de uma empresa portuguesa em tempos de crise

Authors

  • Kelen Franciane Scheroldt Marques Universidade Federal de Santa Maria
  • Julio Cezar Mairesse Siluk Universidade Federal de Santa Maria
  • Alvaro Luiz Neuenfeldt Júnior Universidade Federal de Santa Maria
  • Verônica Dalmolin Cattelan Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.7198/geintec.v4i3.452

Abstract

Considerando que diferentes estratégias são utilizadas pelas organizações para potencializar o seu desempenho por meio da inovação, este estudo teve como objetivo demonstrar através de um diagnóstico a gestão da inovação na empresa mais inovadora de Portugal, de acordo com os dados disponibilizados pela Associação Empresarial para a Inovação (COTEC, 2011), verificando de que forma a inovação ocorre na empresa, a maneira que empreende em meio a crise econômica, quais suas estratégias e obstáculos enfrentados. Apontada como um fator crítico para a obtenção de vantagem competitiva, muito ainda há que ser desenvolvido para fomentar a inovação e descobrir suas variáveis incentivadoras. Nesse contexto, os resultados apresentam um panorama do potencial inovador da empresa, identificando carências do processo e contribuições para o mercado, visualizados a partir da avaliação das oito dimensões propostas em um diagrama denominado Radar da Inovação.

Author Biographies

Kelen Franciane Scheroldt Marques, Universidade Federal de Santa Maria

Núcleo de Inovação e Competitividade

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção

Julio Cezar Mairesse Siluk, Universidade Federal de Santa Maria

Núcleo de Inovação e Competitividade

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção

Alvaro Luiz Neuenfeldt Júnior, Universidade Federal de Santa Maria

Núcleo de Inovação e Competitividade

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção

Verônica Dalmolin Cattelan, Universidade Federal de Santa Maria

Núcleo de Inovação e Competitividade

Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção

References

ANDREASSI, T. Gestão da inovação tecnológica. São Paulo: Thonsson, 2004.

COTEC. Associação empresarial para a inovação. 2012. Disponível em: . Acesso em: 25 jan. 2014.

CASANI, F; POMEDA, J. R.; SANCHEZ, F. New business models in the creative economy: Emotions and social networks. Universia Business Review, v. 33, n. 1, p. 48-69, 2012.

DEROVO. Características da empresa. 2012. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2014.

DRIESSEN, F. B.; ENDE, J. V. D. Innovation management practices compared: The example of project-based firms. Journal of Product Innovation Management, v. 27, n. 5, p.705-724, 2010.

GALLON, A. V.; REINA, D. R. M.; ENSSLIN, S. R. O impacto da inovação no desempenho econômico-financeiro das MPEIS catarinenses beneficiadas pelo programa juro zero (FINEP). RCO-Revista de Contabilidade e Organizações, v. 4, n. 8, p. 112-138, 2010.

GOMES, C. M.; KRUGLIANSKAS, I.; SCHERER, F. L. Innovation management for sustainable development practices in the internalization context. Journal of Technology Management & Innovation. v. 6, n. 2, p. 1, 2011.

HÉRNANDEZ, S. B; JAIME, M. P; DUARTE. R. Determinants of innovation in Spanish microenterprises. Universia Business Review, v. 33, n. 1, p. 104-121, 2012.

IAPEMEI. Sobre as PMEs em Portugal. 2008. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. de 2014.

INE. Instituto Nacional de Estatística. 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2012.

IPIRANGA, A. S. R.; QUEIROZ, W. V.; FROTA, G. S. L.; CÂMARA, S. F.; ALMEIDA, P. C. H. Estratégias de inovação de catching-up: as ligações de aprendizagem entre um instituto de P&D e pequenas empresas. Revista de Administração Pública, v. 46, n.3, p. 677-700, 2012.

KOTLER, P.; KANTAJAYA, H., SETIAWAN, I. Marketing 3.0: As forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser human. Rio de Janeiro: Elsiever, 2010.

MARQUES, K. F. S.; SILUK, J. C. M.; NEUENFELDT JUNIOR, A. diagnóstico da gestão da inovação na campanha gaúcha: um estudo de caso na vitivinícola Almadén. Espacios (Caracas), v. 34, p. 4-4, 2013.

MARTINSUO, M.; POSKELA, J. Use of Evaluation Criteria and innovation performance in the front end of innovation. Journal of Product Innovation Management. v. 28, p. 896-925, 2011.

Moraes, M.; Sales, J. D. A.; Dacorso, A. L. R. Uma proposta de modelo conceitual para pesquisas em sistemas de informação e inovação em serviços. Revista GEINTEC, v. 4, n. 1, p. 543-559, 2014.

NATÁRIO, M. M.; ALMEIDA, C. R. Dinâmicas e processos de inovação em regiões do interior de Portugal: caso de estudo. Pecvnia. n. 13, p. 283-303, 2011.

NEUENFELDT JÚNIOR, A. L.; SILUK, J. C. M.; SOLIMAN, M.; MARQUES, K. F. S. Study to evaluate the performance development of Brazilian franchise segments. Independent Journal of Management & Production, v. 5, n. 2, p. 381-397, 2014.

MORRIS, L. The innovation master plan: the CEO’s guide to innovation. Walnut Creek: Innovation Labs., 2011.

PACAGNELLA JÚNIOR, A. C.; PORTO, G. S. Análise dos fatores de influência no desempenho inovador da indústria paulista. Revista Brasileira de Inovação, v. 11, n. 2, p. 333-364, 2012.

PORTER, M. Competição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

PORTUGAL. Decreto-lei 372/2007, de 06/11/07. Diário da República, v. 1, n. 213, p. 8080-8084, 2007.

REIS, D. R. Gestão da inovação tecnológica. São Paulo: Manole, 2008.

RESE, A.; BAIER, D. Success factors for innovation management in networks of small and medium enterprises. R&D Management, v. 41, p. 138–155, 2011.

SCHERER, F. O.; CARLOMAGNO, M. S. Gestão da inovação na prática: Como aplicar conceitos e ferramentas para alavancar a inovação. São Paulo: Atlas, 2009.

ROSA, A.; GODINHO, M. M. Mudanças culturais, institucionais e tecnológicas em Portugal: um estudo de caso de inovação nos sumos de frutas. Revista CTS, v. 8, p. 251-264, 2013.

SÁNCHEZ, A.; LAGO, A.; FERRÀS, X.; RIBERA, J. Innovation Management Practices, Strategic Adaptation, and Business Results: Evidence from the Electronics Industry. Journal of Technology Management & Innovation, v. 6, n. 2, 2011.

STANKO, M. A.; BONNER, J. M. Projective customer competence: Projecting future customer needs that drive innovation performance. Industrial Marketing Mangement. v. 42, n. 8, p. 1255-1265, 2013.

TANG, J.; PEE, L. G.; IIJIMA, J. Investigating the effects of business process orientation on organizational innovation performance. Information & Management. v. 50, n. 8, p.650-660, 2013.

UMINHO. Universidade do Minho. 2012. Disponível em: . Acesso em: 20 fev. 2014.VIEIRA, F. D.; ROMERO, F. Distritos industriais e inovação: o sector dos moldes em Portugal. Iberoamerican Journal of Industrial Engineering. v. 1, n. 1, p. 106-122, 2009.

ZOGBI, E. Competitividade através da Gestão da Inovação. São Paulo: Atlas, 2008.

Published

2014-09-28

Issue

Section

Artigos (Ativos de 2011 até 2014)