Prospecção tecnológica do jaborandi (Pilocarpus Microphyllus): espécie economicamente importante no norte e nordeste do Brasil

Authors

  • David Fernandes Lima Universidade Federal do Piauí – UFPI
  • Rogério Silva Universidade Federal do Piauí – UFPI
  • Lana Grasiela Alves Marques Rede Nordeste de Biotecnologia Universidade Federal do Ceará
  • Leiz Veras Universidade Federal do Piauí – UFPI
  • Evelyne Simões Universidade Federal do Ceará – UFC
  • José Roberto de Souza de Almeida Leite Universidade Federal do Piauí
  • Maria Rita de Morais Chaves Santos Universidade Federal do Piauí
  • Cláudia Pessoa Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.47059/geintecmagazine.v5i1.444

Abstract

A espécie Pilocarpus microphyllus Stapf ex Wardlew é uma planta nativa do Norte e Nordeste do Brasil de ocorrência no leste do Estado do Pará, oeste e norte do Maranhão e ao norte do Piauí. É uma das espécies medicinais brasileiras de maior destaque constando em farmacopéias de todo o mundo, devido ao uso de seu princípio ativo pilocarpina. Ao utilizar a base de periódicos Web of Science com o gênero Pilocarpus, o resultado foi de 56 artigos e para a espécie Pilocarpus microphyllus o resultado encontrado foi de 17 artigos. A busca por patentes foi utilizando a base de patentes Derwent Innovation Index, INPI, EPO e USPTO obtendo um resultado contrastante com o número de artigos, considerando o Japão em destaque na proteção da pesquisa envolvendo Pilocarpus. O gênero Pilocarpus com ênfase na espécie Pilcarpus microphyllus por meio dos artigos publicados e das patentes concedidas tanto no Brasil como em outros países destaca a relevante importância econômica e industrial da espécie bem como estabelece perspectivas futuras na descoberta de novas aplicações farmacológicas e biotecnológicas dos outros alcalóides que até o momento permanecem desconhecidas.

Author Biographies

David Fernandes Lima, Universidade Federal do Piauí – UFPI

Núcleo de Pesquisa em Biodiversidade e Biotecnologia, BIOTEC. Rede Nordeste de Biotecnologia – Renorbio

Lana Grasiela Alves Marques, Rede Nordeste de Biotecnologia Universidade Federal do Ceará

Possui graduação em Bacharelado em Química com Atribuição Tecnológica pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), mestrado em Química pela UFPI. Atualmente é bolsista CNPQ de pós-doutorado  Universidade Federal do Ceará, UFC. Fez doutorado com período sanduíche de 6 meses em World Intellectual Property Organization – WIPO Genève/Suisse, título de tese: Mapeamento e Abordagem Legais das Redes de Bioprospecção nos Países Megadiversos.
Tem experiência na área de Química, com ênfase em Físico Química Inorgânica, atuando principalmente nos seguintes temas: filmes finos, materiais cerâmicos, constante dielétrica, Propriedade Intelectual e Industrial, Bioprospecção. Possui formação complementar em Redação de Patentes e Patentes em Biotecnologia pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial de Portugal (INPI-PT), Gestão de Projetos; Prospecção Tecnológica; Transferência Tecnológica; Propriedade Intelectual e Inovação no Agronegócio; Negociação, Comercialização e Contratos; Avaliação Tecnológica e Redação de Patente; Estruturação de Núcleos de Inovação Tecnológica, Estudo de Mercado; Biotecnologia e Propriedade Intelectual. Todos esses  cursos coordenados pelo Instituto Nacional em Propriedade Industrial (INPI) Brasil e World Intelectual Propriety Organization (WIPO - Genebra). Experiência e formação em softwares que realizam busca de anterioridade em bancos de dados mundiais com acesso a banco de patentes.

Foi bolsista CNPq de Desenvolvimento Tecnológico e Industrial - DTI II do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia. A bolsa fez parte do projeto aprovado por meio da Chamada Pública MCT/FINEP/Ação Transversal - TIB - 02/2006 - Rede NIT – NE. Colaboradora no Projeto FINEP PRO-INOVA - 01/2008-2010. Colaboradora no Projeto: Mapeamento e Desenvolvimento de Prospecção de Tecnologias Desenvolvidas no Âmbito da UFPI.

Palestrante no III Seminário de Propriedade Intelectual e Empreendedorismo Tecnológico e V Workshop de Propriedade Intelectual e Inovação Tecnológica com tema: A Propriedade Intelectual e a Busca da Informação Tecnológica: os bancos de patente.

Atuou na elaboração de um capítulo do livro Capacitação em Inovação Tecnológica para Empresários com tema Propriedade Intelectual no Agronegócio e na Biotecnologia. Publicação faz parte do projeto de Capacitação de Inovação Tecnológica para Empresários do Nordeste com o objetivo de capacitar empresários para o empreendedorismo inovador, contribuindo com os esforços de inovação na região NE do Brasil, focando em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia.

References

BAPTISTA NETO, C. SUGAYA, N.N. Tratamento da xerostomia em pacientes irradiados na região da cabeça e do pescoço. Revista Biociência, Taubaté, v.10, n.3, p.147-151, jul./set. 2004.

BENTO, R.R.F.; SILVA, L.E. da.; FARIA, J.L.B.; FREIRE, P.T.C.; DE OLIVEIRA, M.C.F.; ROMERO, N.R.; TEIXEIRA, A.M.R.; PONTES, F.M.,. Comparative vibrational spectra of pilosine and epiisopilosine crystals. Brazilian Journal of Physics 40, 217-223, 2010.

CORRÊA, M.P. Dicionário das plantas úteis do Brasil, Vol. 4, Ministério da Agricultura, Rio de Janeiro. p. 360-369, 1969.

CRONQUIST, A. Na integrated system of classification of flowering plants. New York, Columbia University Press, 1981. 1262p.

CRONQUIST, A. The Evolution and Classification of Flowering Plants, 2. ed. The New York Botanical Garden, New York, 1988, 555p.

IBAMA. (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). Lista oficial de Espécies Brasileiras Ameaçadas de Extinção. Instrução Normativa MMA n°06, de 26 de setembro de 2008.

LEWIS, W.H.; ELVIN-LEWIS, M.P.F. Medical botany - plants affecting man´s health. New York: John Wiley & Sons. 1977. 515p.

LIMA, D. F. Alcalóides de interesse industrial: aspectos químicos e biológicos. 2008. 56 f. Monografia (Especialização em Plantas Medicinais) – Pós-Graduação em Plantas Medicinais, Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2008.

LORENZI, H.A.; MATOS, F.J. Plantas Medicinais no Brasil: Nativas e Exóticas Cultivadas. Instituto Plantarum, Nova Odessa, São Paulo, 2002.

LUCIO, E.M.R.A.; ROSALEN, P.L.; SHARAPIN, N.; SOUZA BRITO, A.R.M. Avaliação toxicológica aguda e screening hipocrático da epiisopilosina, alcaloide secundário de Pilocarpus microphyllus Stapf. Revista Brasileira de Farmacognosia 9, 23-35, 2000.

MARQUES, M.E.T.; COSTA, J.P.C. Jaborandi (Pilocarpus microphillus). Belém: EMBRAPACPATU, 1994. 4 p. (Recomendações Básicas, 27).

MOURA, E.F. Divergência genética entre acessos de jaborandi (Pilocarpus microphyllus). 2003. 75f. Dissertação (Mestrado em Genética e Melhoramento de Plantas) - Programa de Pós-Graduação em Genética e Melhoramento de Plantas, Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2003.

NORDSTROM, B.L.; FRIEDMAN, D.S.; MOZAFFARI, E.; QUIGLEY, H.A.; WALKER, A.M. Persistence and adherence with topical glaucoma therapy. American Journal of Ophthalmology, v. 140, n. 4, p. 598-606. 2005.

PINHEIRO, C.U.B. Jaborandi (Pilocarpus sp., Rutaceae): uma espécie selvagem e sua rápida transformação em cultivar. Economic Botany. v. 51, n. 1, p.49-58, 1997.

PINHEIRO, C.U.B. Extrativismo, cultivo e privatização do jaborandi (Pilocarpus microphyllus ex Holm., Rutaceae) no Maranhão, Brasil. Acta Botânica Brasilica. São Paulo, v. 16, n.2, abril 2002.

ROCHA, J.A. Variabilidade genética e avaliação anti-schistosoma dos alcalóides pilosina, epiisopilosina, isopilosina e macaubina de jaborandi (Pilocarpus microphyllus Stapf ex Wardlew.). 2013. 145f. Dissertação (Mestrado em Biotecnologia) - Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia – Universidade Federal do Piauí, Parnaíba, 2013.

SANTOS, A. P.; MORENO, P. R. H. Pilocarpus spp.: A survey of its chemical constituents and biological activities. Brazilian Journal of Pharmaceutical Sciences, v.40, n. 2, p. 115 – 137. 2004.

SAWAYA, A.C.H.F.; VAZ, B.G.; EBERLIN, M.N.; MAZZAFERA, M. Screening species of Pilocarpus (Rutaceae) as sources of pilocarpina and other imidazole alkaloids. Genetic Resources and Crop Evolution. V.58, p. 471-480, 2011.

SILVA, V.G.; SILVA, R.O.; DAMASCENO, S.R.B.; ARAGÃO, K.S.; GUIMARÃES, M.A.; CAMPOS,S.A.; VERAS, L.M.C.; GODEJOHANN, M.; LEITE, J.R.S.A.; BARBOSA, A.L.R.; MEDEIROS, J.V.R. Anti-inflammatory and antinociceptiva activity of epiisopiloturina, an imidazole alkaloid isolated from Pilocarpus microphyllus. Journal of Natural Products.The American Chemical Society and American Society of Pharmacognosy, 2013.

TSAI, J.C.; MCCLURE, C.A.; RAMOS, S.E.; SCHLUNDT, D.G.; PICHERT, J.W. Compliance barriers in glaucoma: a systematic classification. Journal of Glaucoma, v. 12, n. 5, p. 393-398. 2003.

VEGEFLORA, Plano de manejo florestal comunitário: Pilocarpus microphyllus Stapf ex Wardi. Parnaíba, VEGEFLORA, 2010. 71 p.

VERAS, L.M.; GUIMARÃES, M.A.; CAMPELO, Y.D.; VIEIRA, M.M.; NASCIMENTO, C.; LIMA, D.F.; VASCONCELOS, L.; NAKANO, E.; KUCKELHAUS, S.S.; BATISTA, M.C.; LEITE, J.R.; MORAES, J. Activity of epiisopiloturine Against Schistosoma mansoni. Current Medicinal Chemistry, v. 19, p. 2051-58, 2012.

Published

2015-03-28

Issue

Section

Management and Social Science