Os papéis desempenhados por Governo, Universidade, Empresa e Instituição Científica e Tecnológica: uma análise de municípios de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro à luz da tipologia de distritos industriais de Ann Markusen

Authors

  • Renato Santiago Quintal Departamento de Contabilidade da Diretoria de Finanças da Marinha (DFM) e Egresso do Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGCC/UERJ).
  • Branca Regina Cantisano dos Santos e Silva Riscado Terra Professora do Programa de Mestrado em Ciências Contábeis da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Pesquisadora do Programa Prociência e Líder do grupo de pesquisa Inovação e Sociedade na mesma Universidade.
  • Marcos dos Santos Centro de Análise de Sistemas Navais (CASNAV) e Egresso do Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE/UFRJ).

DOI:

https://doi.org/10.7198/geintec.v4i5.411

Abstract

O presente artigo assume como tema a análise dos papéis desempenhados pelos atores governo, universidade, empresa e instituição científica tecnológica em municípios localizados em território paulista e fluminense. No estudo em tela, vislumbram-se os seguintes problemas de pesquisa: Como estão dispostos os atores nos municípios analisados? As características demográficas e socioeconômicas daqueles municípios propiciam o desenvolvimento de ambientes de inovação? Quais são as contribuições fornecidas pelos atores envolvidos ao desenvolvimento de ambientes de inovação nos municípios analisados? Como poderiam ser classificados os distritos industriais nos quais estão situadas as unidades de análise da pesquisa? No que tange à metodologia, a presente pesquisa pode ser classificada como qualitativa e quantitativa, exploratória, bibliográfica, documental, pesquisa de campo e estudos de casos. Observa-se que governo, universidade e empresa assumem disposições distintas em cada um dos municípios em estudo. Adicionalmente, as características atinentes aos índices de Gini e de desenvolvimento humano; ao ranking de empregos; e à representatividade das instituições científicas e tecnológicas instaladas em cada um dos municípios contribuem ou não para a conformação de ambientes de inovação e polos tecnológicos naquelas localidades. A característica comum aos três municípios é o fato de representarem exemplos de distritos industriais suportados pelo Estado, de acordo com a tipologia apresentada por Markusen. Este estudo apresenta limitações associadas ao fato de o resultado da pesquisa estar adstrito exclusivamente aos três casos estudados, sendo impossível a sua generalização.

Author Biographies

Renato Santiago Quintal, Departamento de Contabilidade da Diretoria de Finanças da Marinha (DFM) e Egresso do Programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGCC/UERJ).

Mestre em Ciências Contábeis (Faculdade de Administração e Finanças da Universidade do Estado do Rio de Janeiro); Especialista em Comércio Exterior (Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro); Bacharel em Administração (Universidade Cândido Mendes) e em Ciências Navais, com Habilitação em Administração de Sistemas (Escola Naval). Atualmente é Oficial Superior da Ativa do Corpo de Intendentes da Marinha do Brasil, ocupa o posto de Capitão-de-Corveta e está lotado na Diretoria de Finanças da Marinha. Tem experiência em Ciências Contábeis e Administração, com ênfase em Administração Pública. E-mail: rsantiago79@hotmail.com

Branca Regina Cantisano dos Santos e Silva Riscado Terra, Professora do Programa de Mestrado em Ciências Contábeis da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Pesquisadora do Programa Prociência e Líder do grupo de pesquisa Inovação e Sociedade na mesma Universidade.

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ (1977), Mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ/COPPE (1988), Doutorado sanduíche pela State University of New York at Purchase - SUNY (1998) e Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ/COPPE (1999). Atualmente é professora adjunta da UERJ, pesquisadora do programa Prociência e líder do grupo de pesquisa Inovação e Sociedade, implantou o Laboratório de Inovação e Empreendedorismo e vem implantando o Programa de Pré-incubação, Incubação e Pós-incubação da Rede de Incubadoras de Empresas da UERJ, ambos por meio de fomento da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro - FAPERJ. Criou e coordenou o programa de pós-graduação lato sensu e o mestrado multidisciplinar em Desenvolvimento Local do Centro Universitário Augusto Motta - UNISUAM. É avaliadora do Ministério da Educação e do Desporto e Visiting Professor da SUNY at Stony Brook (2006) onde concluiu o pós-doutorado em engenharia. Também possui pós-doutorado pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (2007). Tem experiência na área de Engenharia de Produção, com ênfase em inovação tecnológica e organização industrial, atuando principalmente nos seguintes temas: hélice tríplice, gestão de C&T&I, universidade empreendedora, desenvolvimento local, empreendedorismo, tecnologia, inovação tecnológica, pesquisa, planejamento e desenvolvimento de produtos inovadores em micro, pequenas e médias empresas, gestão acadêmica e políticas públicas de C&T&I. Tem dois livros publicados como autora: A Transferência de Tecnologia em Universidades Empreendedoras, em 2001 pela Qualitymark (ISBN 85-7303-93-6) e Em Tempos de Rede... A Gestão do Conhecimento para o Desenvolvimento de Regiões, em 2006 pela Interciência (ISBN 85-7193-151-8). Foi assessora da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia onde participou da elaboração do primeiro Plano de Desenvolvimento Tecnológico do Estado do Rio de Janeiro e consultora do arranjo produtivo local Petrópolis Tecnópolis, como especialista visitante do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq. Atuou como consultora do Ministério da Ciência e Tecnologia, pela Financiadora de Estudos e Projetos - FINEP e pelo CNPq, no Programa de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - PADCT III, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia - FAPESB e Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo - FAPES.

Marcos dos Santos, Centro de Análise de Sistemas Navais (CASNAV) e Egresso do Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE/UFRJ).

Gerente de Projetos e Pesquisador no Centro de Análise de Sistemas Navais e Coordenador Geral do XVII Simpósio de Pesquisa Operacional e Logística da Marinha (SPOLM).

References

AMARAL, R. Texto revisto da Palestra “Ciência e Tecnologia, defesa e soberania para a construção de um Projeto Nacional”, proferida durante a “Sexta Rodada de Debates sobre o ‘Pensamento brasileiro sobre Segurança e Defesa’, promovida pelo Ministério da Defesa em Petrópolis-RJ, no Centro General Ernani Ayrosa, em 3 e 4 de abril de 2004. In: AMARAL, R. Ciência, tecnologia e soberania nacional: dificuldades para a construção de um projeto nacional. Brasília, DF: Senado Federal, 2011.

ANDRADE, T. N. de. Aspectos Sociais e Tecnológicos das Atividades de Inovação. Lua Nova, São Paulo, nº 66, p.139-166, 2006. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ln/n66/29087.pdf> Acesso em: 08 ago. 2013.

CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M. M.. Sistemas de inovação e desenvolvimento: as implicações de política. São Paulo Perspec. [online]. 2005, vol.19, n.1, pp. 34-45. ISSN 0102-8839. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/spp/v19n1/v19n1a03.pdf> Acesso em 08 ago. 2013.

CRUZ JUNIOR, A. S. Diplomacia, desenvolvimento e sistemas nacionais de inovação: estudo comparado entre Brasil, China e Reino Unido. Brasília, DF: Fundação Alexandre de Gusmão, 2011, v. 1, 292p .

EUROPEAN COMMISSION. The Structural Funds and their coordination with the Cohesion Fund: guidelines for programmes in the period 2000-2006. European Union, Regional Policy, 1999b.

______. Network of Innovation Regions in Europe – Good Pratices on Regional Innovation and Technology Transfer Strategies and Infrastructures – RITTS, Regional Innovation Strategy – RIS and Regional Technology Plan – RTP, Pilot Projects across Europe, 1999a.

FERNANDES, A. C.; CÔRTES, M. R.; PINHO, M.. Caracterização das pequenas e médias empresas de base tecnológica em São Paulo: uma análise preliminar. Economia e Sociedade, Campinas, v. 13, n. 1 (22), p. 151-173, jan./jun. 2004. Disponível em: < www.eco.unicamp.br/docdownload/publicacoes/instituto/revistas/economia-e-sociedade/V13-F1-S22/FernandesCortesPinho.pdf> Acesso em 08 ago. 2013.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Índice FIRJAN de desenvolvimento municipal. Edição 2012 - ano base 2010, 2012. Disponível em: Acesso em 08 ago. 2013.

FORJAZ, M. C. S.. As origens da Embraer. Tempo Soc. [online]. 2005, vol.17, n.1, pp. 281-298. Disponível em: Acesso em 08 ago. 2013.

FRANÇA, R.. Inaugurada, no campus Montenegro, a incubadora aeroespacial “IncubAero”. Assessoria de Imprensa do ITA, 30 nov. 2004. Disponível em: <http://www.ita.br/online/2004/noticias04/incubaeroinaug.htm> Acesso em 08 ago. 2013.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (Brasil). Censo Demográfico 2010, 2012. Disponível em: <http://www.censo2010.ibge.gov.br>. Acesso em 08 ago. 2013.

__________. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2002-2003, 2003. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/pof/2002/pof2002.pdf> Acesso em 08 ago. 2013.

_________. Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008, 2008. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/pibmunicipios/2004_2008/default.shtm> Acesso em 08 ago. 2013.

INSTITUTO DE ESTUDOS DO MAR ALMIRANTE PAULO MOREIRA (Brasil). IEAPM será sede do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT). Informativo IEAPM, Arraial do Cabo, v. 1, n. 9, p. 1-4, 2011.

__________. O Projeto Oficinas do Mar. A Ressurgência, Arraial do Cabo, v. 1, n. 1, p. 42, 2003a.

__________. Programa de mentalidade marítima: o museu oceanográfico. A Ressurgência, Arraial do Cabo, v. 1, n. 1, p. 41, 2003b.

KIM, L. Imitation to Innovation: the dynamics of Korea’s Technological Learning. Boston: Harvard Business School Press, 1997.

LIMA, L. C.. Tecnopólo: uma Forma de produzir na modernidade atual. Terra Livre, São Paulo, n.9, p. 19-40, 1992. Disponível em: . Acesso em 08 ago. 2013.

LUNDVALL, B. National Systems of Innovation. Towards a theory of innovation and interactive learning. Londres: Pinter Publishers, 1992.

MACIEL, M. L.. Hélices, sistemas, ambientes e modelos: os desafios à Sociologia da Inovação. Sociologias, Porto Alegre, ano 3, nº 6, jul-dez, 2001, p. 18-29. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/soc/n6/a02n6.pdf>. Acesso em 14 nov. 2012.

MACIEL, M. L.; BAUMGARTEN, M. Estímulos e desestímulos à divulgação do conhecimento científico. Conhecimentos e redes–sociedade, política e inovação. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2005.

MARKUSEN, Ann. Áreas de atração de investimentos em um espaço econômico cambiante: uma tipologia de distritos industriais. Nova Economia. Belo Horizonte, v.5, n.2, dez.1995.

NELSON, R. R. National innovation systems: a comparative analysis. New York: Oxford University Press, 1993.

PARADISI, Alberto. Entrevista concedida ao autor pelo Diretor de Gestão da Inovação da Fundação CPqD. Campinas, São Paulo, 23 de outubro de 2012.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. Atlas do desenvolvimento humano no Brasil de 2003: ranking do IDH Municipal (IDH-M) dos municípios do Brasil 2003, obtido com base no Censo 2000, 2003. Disponível em: <http://www.pnud.org.br/atlas/ranking/IDH_Municipios_Brasil_2000.aspx?indiceAccordion=1&li=li_Ranking2003>. Acesso em 08 ago. 2013

______. Relatório de Desenvolvimento Humano Global 2004: Liberdade Cultural num Mundo Diversificado, 2004. Disponível em: <http://www.pnud.org.br/hdr/arquivos/RDH2004/arqui1089900676.zip>. Acesso em 08 ago. 2013.

RODRIGUES, A. de J..Metodologia Científica, São Paulo: Avercamp, 2006.

STEINER, J. E.; CASSIM, M. B.; ROBAZZI, A. C.. Parques Tecnológicos: Ambientes de Inovação. Revista IEA. USP. São Paulo, 2008. Disponível em <http://www.iea.usp.br/iea/textos/steinercassimrobazziparquestec.pdf>. Acesso em 08 ago. 2013.

TERRA, B. R. C. et al. Os contextos norte-americano e brasileiro de C&T. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 22., 2000, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPAD, 2000.

TERRA, B. R. C. et al. Os contextos norte-americano e brasileiro de C&T. In: ENCONTRO ANUAL DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO, 22., 2000, São Paulo. Anais... São Paulo: ANPAD, 2000.

TERRA, B. R. C.; BARROS, F. C. P.; SEIDL, P. R. Regional Innovation Systems: The case of Rio de Janeiro State. The Tenth International Conference on Management of Technology. IAMOT 2001, 19-22 march, Switzerland, p. 085b, 2001a.

UTTERBACK, J. M. Mastering the dynamics of innovation. Cambridge: Harvard University School Press, 1994.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010. 248p.

Published

2014-12-21

Issue

Section

Artigos (Ativos de 2011 até 2014)