Plantas medicinais no tratamento do acidente ofídico: uma prospecção tecnológica

Authors

  • Jeison Saturnino Oliveira Universidade Federal de Sergipe
  • Mairim Russo Serafini Universidade Federal de Sergipe
  • Adriano Antunes de Souza Araujo Universidade Federal de Sergipe
  • Paulo de Assis Melo Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Charles dos Santos Estevam Universidade Federal de Sergipe
  • Lucindo José Quintans-Júnior Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.7198/geintec.v4i2.344

Abstract

O acidente ofídico é um problema de saúde pública em todo mundo, principalmente nos países tropicais. A mordedura da serpente causa principalmente lesão tecidual, apresentando edema, hemorragia e necrose que pode evoluir para completa degeneração do músculo atingido. Seu único tratamento reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é o soro antiofídico que nem sempre é satisfatório, além de poder gerar efeitos colaterais sistêmicos.Por caracterizar uma preocupação de saúde pública mundial, diversos estudos vêm sendo conduzidos na busca de novas alternativas de tratamento, dentre os quais estão as plantas medicinais. Desta forma, objetivou-se realizar um levantamento das pesquisas já desenvolvidas e com resultados patenteados, avaliando-se as utilizações de plantas medicinais no tratamento do acidente ofídico. A prospecção foi realizada no European Patent Office, no World Intellectual Property Organization, no Derwent World PatentsIndexenoBancodedadosdoInstituto Nacionalde PropriedadeIndustrialdoBrasil.Aclassificaçãointernacional nessa prospecçãofoiA61K e dentre os depositantes estão a OrganizaçãoMundialdaPropriedadeIntelectual e a China.Observou-se um número de patentes reduzido para tratamento ofídico no período de 2003 a 2013, apresentando uma oportunidade a ser explorada na área da inovação tecnológica.

 

Author Biographies

Jeison Saturnino Oliveira, Universidade Federal de Sergipe

Fisioterapeuta, Mestre em Ciências Morfológicas e Doutor em Biotecnologia - RENORBIO - UFS/SE . Atualmente, professor de Anatomia Humana do Departamento de Morfologia da UFS.

Mairim Russo Serafini, Universidade Federal de Sergipe

Farmacêutica, Doutora, Professora Adjunta do Departamento de Farmácia - UFS

Adriano Antunes de Souza Araujo, Universidade Federal de Sergipe

Farmacêutico, Doutor, Professor Adjunto do Departamento de Farmácia - UFS

Paulo de Assis Melo, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Médico, Doutor, Professor Associado do Departamento de Farmacologia - UFRJ

Charles dos Santos Estevam, Universidade Federal de Sergipe

Químico, Doutor, Professor Adjunto do Departamento de Fisiologia - UFS

Lucindo José Quintans-Júnior, Universidade Federal de Sergipe

Farmacêutico, Doutor, Professor Adjunto do Departamento de Fisiologia

References

DOS-SANTOS, M.C. et al. A eficácia do antiveneno botrópico-crotálico na neutralização das principais atividades do veneno de Bothrops jararacussu. Rev. Inst. Med. Trop. São Paulo, v.34, p.77-83, 1992.

FANG, Y. Compound made from the root of Angelica dahuriae for the treatment of snakebite. CN101062182. 2007.

HASHIMOTO, G. Brazilian plants. Brazilian-plants, v.26, p.41-49, 2002.

HOUGHTON, P.J. & OSIBOGUN, I.M. J. Flowering plants used against snakebite. J. Ethnopharmacology, v. 39, p. 1-29, 1993.

LIRA-DA-SILVA, R. M. & NUNES, T. B. Ophidic accidents by Bothrops leucurus Wagler, 1824 in Bahia, Brazil, Toxicon, v. 31, p.143-144, 1993.

MARCUSSI, S; SANTANA, CD; OLIVEIRA, CZ; RUEDA, AQ; MENALDO, DL; BELEBONI, RO; STABELI, RG; GIGLIO, JR; FONTES, MRM; SOARES, AM (2007). Snake venom phospholipase A2 inhibitors: Medicinal Chemistry and Therapeutic Potencial. Current Topics in Medicinal Chemistry, v.7, p.122-130, 2007.

MARTZ, W. Plants with a reputation against snakebite. Toxicon, v. 30, p.1131-1142, 1992.

MELO, P.A & SUAREZ – KURTZ , G. Release of creatine kinase from skeletal muscle by Bothrops venoms : heparin potentiation of inhibition by antivenom. Braz. J. Med. Biol. Res., p. 545-548, 1988a.

MELO, P.A., M.C. NASCIMENTO, W.B. MORS & G. SUAREZ-KURTZ. Inhibition of the myotoxic and hemorrhagic activities of crotalid venoms by Eclipta prostrate (Asteraceae) extracts and constituents.Toxicon, v. 32, p.595-603, 1994.

MORS, W.B.; NASCIMENTO, M.C.; PEREIRA, B.M.R.; PEREIRA, N.A. Plant natural products active against snake bite--the molecular approach. Phytochemistry, v. 55, p. 627-42, 2000.

PAWAR, G. & PANDURANG. Ayurvedic composition and preparation process as antivenom agent. WO/2006/046257. 2006.

PEREIRA, B.M.; GONÇALVES, L.C.; PEREIRA, N.A. Rev. Bras. Farm., p.73-85,1992.

RIZZINI, C.T.; MORS, W.B.; PEREIRA, N.A. Plantas Brasileiras ditas como antiofídicas Rev. Bras. Farm., v.69, p.82-86,1988.

SIMÕES, C.M.O. (Org). Farmacognosia: da planta ao medicamento. 2. ed. Rio Grande do Sul: Editora da UFRGS e UFSC, p.821, 2000.

Published

2014-06-15

Issue

Section

Artigos (Ativos de 2011 até 2014)