Tecnologias patenteadas para produção e frutas tropicais desidratadas

Authors

  • Lindanor Gomes Santana Neta
  • Maria da P. Spínola Miranda
  • Candice Vieira Braga Negreiros
  • Ícaro Ribeiro Cazumbá da Silva

DOI:

https://doi.org/10.7198/geintec.v3i4.311

Abstract

Embora exista grande produção, o consumo de frutos in natura pela população brasileira não acontece de forma adequada pela pouca disponibilidade e qualidade destes ao longo do ano. De maneira geral, devido às condições climáticas de algumas regiões do Brasil e por inúmeros problemas que ocorrem desde a etapa da colheita até a comercialização ao consumidor final, os frutos apresentam elevada perecibilidade. A maioria dos frutos possue apenas três meses de safra, não sendo possível encontrá-los em épocas entressafras. Por isto, a industrialização se apresenta como uma maneira prática e simples de aproveitar o excesso de frutas produzidas na safra e tornar a matéria-prima disponível pelo restante do ano. Neste contexto, esta prospecção buscou identificar potencialidades, características e evolução das competências tecnológicas sobre métodos, equipamentos e aplicações industriais de desidratação de frutas e vegetais no período de 1943-2010. Esta pesquisa foi realizada a partir de palavras-chave e códigos da classificação internacional de patentes nas bases Espacenet e INPI. A primeira patente identificada foi de 1943, nos Estados Unidos, que até 2010 apresentou o maior número de patentes depositadas. O Brasil possui poucas patentes nesta área, evidenciando pouca transferência de tecnologia para indústrias, sendo de fundamental relevância fomento para melhorar o cenário inovador.

Published

2013-12-15

Issue

Section

Artigos (Ativos de 2011 até 2014)