Desenvolvimento, avaliação físico-química, microbiológica e sensorial de geleia de tamarindo

Authors

  • Juliana Dias Maia Universidade Federal de Sergipe - Departamento de Tecnologia de Alimentos
  • Beatriz Medeiros Travália Universidade Federal de Sergipe - Departamento de Tecnologia de Alimentos
  • Tamy Andrade de Andrade Universidade Federal de Sergipe - Departamento de Tecnologia de Alimentos
  • Julianna Karla Santana Andrade Universidade Federal de Sergipe - Departamento de Tecnologia de Alimentos
  • Gleise Kely da Cruz Silva Universidade Federal de Sergipe - Departamento de Tecnologia de Alimentos
  • Jane de Jesus da Silveira Moreira Universidade Federal de Sergipe - Departamento de Tecnologia de Alimentos
  • Antônio Martins de Oliveira Júnior Universidade Federal de Sergipe - Departamento de Tecnologia de Alimentos

DOI:

https://doi.org/10.7198/geintec.v4i1.264

Abstract

O tamarindo é uma fruta com alto potencial a ser explorado pelo mercado brasileiro e o seu processamento em forma de geleia promove o aumento da vida útil, oferece um derivado em qualquer época do ano e coloca no mercado um alimento diferenciado pelo seu sabor agridoce. Neste sentido, o presente trabalho objetivou processar geleia a partir da polpa de tamarindo sem o acréscimo de aditivos, realizar análises físico-químicas e microbiológicas e, finalmente, verificar sua aceitação sensorial. Em relação aos parâmetros físico-químicos, foi observado que a Aw foi coerente com o valor estipulado para geleias. A geleia de tamarindo pode ser considerada fonte de fibras e carboidratos e pobre em gorduras e os resultados de pH 2,4 e acidez 44,44% da geleia indicam que a elevada acidez da matéria-prima foram conservadas no produto após o tratamento térmico. Os resultados obtidos nas análises microbiológicas estavam dentro dos limites estabelecidos pela legislação brasileira e conforme a análise sensorial, 23% dos consumidores provavelmente comprariam a geleia de tamarindo.

References

BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 12 de 2001. Dispõe sobre o regulamento técnico sobre padrões microbiológicos para alimentos.

BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução – CNNPA (Comissão Nacional de Normas e Padrões para Alimentos) nº 12, de 1978. Dispõe sobre os Padrões de Identidade e Qualidade dos alimentos e bebidas.

DOURADO, G. L.; BEZERRA, D. M.; CARVALHO, R. M. S.; COSTA, J. F.; SILVA, M. D. P.; MACHADO, K. R. G.; DOURADO, J. L.; CORREIA, C. S.. Aproveitamento da polpa do tamarindo (Tamarindus indica L.) para obtenção de geleia. In: 50º Congresso Brasileiro de Química. Cuiabá, 2010.

DOWNES, F. P.; ITO, K.. Compendium of Methods for the Microbiological examination of foods. 4TH edition, 676 p. Washington, DC, 2001.

FELLOWS, P. J. Tecnologia do processamento de alimentos: princípios e prática. 2 ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

FERREIRA, R. M. A.; AROUCHA, E. M. M.; GÓIS, V. A.; DA SILVA, D. K.; DE SOUSA, C. M. G.. Qualidade sensorial de geleia mista de melancia e tamarindo. Revista Caatinga, Mossoró, v. 24, n. 2, p. 202-206, abr.-jun., 2011.

FERREIRA, R. M. de A.; AROUCHA, E. M. M.; SOUSA, A. E. D.; MELO, D. R. M. de; FILHO, F. S. T. P.. Processamento e conservação de geleia mista de melancia e tamarindo. Revista Verde (Mossoró – RN – Brasil) v.5, n.3, p. 59 - 62 julho/setembro de 2010.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. Edição IV, 1ª Edição Digital. Instituto Adolf Lutz, São Paulo, 2008.

KROLOW, A. C. R.. Preparo Artesanal de Geleias e Geleiadas. Embrapa, Pelotas, 2005.

MACEDO, A. N.; CARVALHO, M. A. R.; BARROSO, A. P. S.; GONDIM, T. A. C.; AZEVÊDO, L. C.. Extração e caracterização de espessantes naturais. In: IV Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte e Nordeste de Educação Tecnológica. Belém – PA, 2009.

OLIVEIRA, L. F.; BORGES, S. V.; NASCIMENTO, J.; CUNHA, A. C.; JESUS, T. B.; PEREIRA, P. A. P.; PEREIRA, A. G. T.; FIGUEIREDO, L. P.; VALENTE, W. A.. Utilização de casca de banana na fabricação de doces de banana em massa – avaliação da qualidade. Alimentos e Nutrição, V. 20, n. 4. Araraquara, 2009.

SANTOS, T. Produção e avaliação sensorial de produtos elaborados com o fruto do tamarindo (Tamarindus indica L). Petrolina, 2010. In: CONNEPI Alagoas. Disponível em http://connepi.ifal.edu.br/ocs/index.php/connepi/CONNEPI2010/paper/view/149. Acesso em março de 2013.

SOUZA, D. M. M.. Estudos morfo-fisiológicos da conservação de frutos e sementes de Tamarindus indica L.. Dissertação (mestrado em Agronomia) pela UFPB. Areia, 2008.

VIEIRA NETO, R. D.. Frutíferas potenciais para os tabuleiros costeiros e baixadas litorâneas. Aracaju: Empraba Tabuleiros Costeiros. EMDAGRO, 2002.

WATANABE, A. P.. Microfiltração de suco de tamarindo (Tamarindus indica L.) por membrana polimérica: efeito do tratamento enzimático, da velocidade tangencial e da pressão transmembrana. Tese (Mestrado em Engenharia de Alimentos) pela Unicamp. Campinas, 2007.

Published

2014-03-17

Issue

Section

Artigos (Ativos de 2011 até 2014)