Abordagem sobre o Desenvolvimento de Tecnologia (Software e Hardware) para Analisar os Fatores de Risco da Produção Industrial de Mel

Authors

  • Marcus Vinícius Dantas Linhares IFPI - Instituto Federal do Piauí
  • Cristina Maria Quintella UFB - Universidade Federal da Bahia
  • Cleydiel Edmar da Silva UFPI - Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.7198/geintec.v10i3.1458

Keywords:

mel, software, hardware, fatores de risco.

Abstract

Este artigo apresenta as etapas do desenvolvimento de uma tecnologia autoral de controle e gestão da cadeia produtiva do mel, capaz de realizar: (i) o processamento dos dados de condições naturais e logísticas que influenciam a produção do mel, para diagnosticar e prever os fatores de risco de bioprocesso de Fermentação e do processo de aumento do HMF (hidroximetilfurfural), por meio do mecanismo tecnológico de Big Data; (ii) a automatização dos registros de indicadores de umidade do mel, umidade relativa do ar e de temperatura ambiente, para relacionar e integrar às análises laboratoriais e definir as condições ideais para a diminuição dos fatores de riscos.

Author Biographies

Marcus Vinícius Dantas Linhares, IFPI - Instituto Federal do Piauí

MARCUS LINHARES

Professor efetivo do IFPI - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí - Campus Picos. Doutorando em Biotecnologia Industrial pela RENORBIO - UFBA. Mestre em Ciências da Educação pela ULHT / UFPE - Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia / Universidade Federal de Pernambuco. Possui graduação em Administração de Empresas; M.B.A. em Gestão Empresarial e Especialização em Educação, Desenvolvimento e Polítcas Educativas. Diretor Administrativo do Instituto MULTICOM, onde atua com aceleração de Startups e Spinoffs nas áreas de Biotecnologia, Big Data e Empreendimentos de Base Tecnológica. Responsável pelo NAVE - Núcleo Avançado de Educação Empreendedora. Consultor do SEBRAE. Bicampeão do Prêmio Educação Empreendedora Brasil, uma iniciativa Endeavor e Sebrae (nos anos de 2010 e 2012). Campeão do Prêmio "Tecnologias que Transformam", iniciativa da Fundação Telefônica / VIVO (2013). Autor do livro: C.H.O.Q.U.E.: Tratamento para o Surto Empreendedor.Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Inovação, Educação Empreendedora e Empreendedorismo Digital.

Cristina Maria Quintella, UFB - Universidade Federal da Bahia

Cristina Maria Assis Lopes Tavares da Mata Hermida Quintella (Cristina M. Quintella) é bacharel em Física (1983, Universidade Federal do Rio de Janeiro), mestre em Físico-Química (1985, Instituto de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro), doutora em Ciências Moleculares (1993, University of Sussex, UK), pós-doutorados em Instituto Superior de Economia e Gestão da Univ. Lisboa, Portugal, e no Instituto Politêcnico de Setúbal, Portugal, além de diversas capacitações em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia (PI e TT) pela OMPI e INPI. É Prof. Titular da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua principalmente em: dinâmica e cinética molecular; espectroscopias; interfaces; biotecnologia, produção e transporte de petróleo; CO2; instrumentação, negociação; prospecção tecnológica; PI e TT, gestão da inovação e de suas redes sociais. É autora/organizadora de mais de 113 artigos, 10 livros, 37 capítulos de livros. Orientou/coorientou mais de 28 DR, 31 MS, 100 IC e 200 orientações de desenvolvimento tecnológico (ITI e DTI), além de 10 supervisões de POSDOC. Seu grupo ganhou 6 Prêmios Petrobrás (2003 a 2010). Está Editora Chefe da revista Cadernos de Prospecção [ISSN:1983-1358 (impresso) / ISSN: 2317-0026 (on-line), https://portalseer.ufba.br/index.php/nit hospedada pela UFBA]. É inventora de mais de 42 patentes nacionais e internacionais, solicitadas e/ou concedidas nos EUA, Grã-Bretanha, Japão, Rússia e Brasil, além de duas marcas. Desenvolveu tecnologias que são já inovação tecnológica sendo utilizadas pelas empresas QUIMIS, PETROBRAS, COSERN, etc. e outras estão aumentando a maturidade tecnológica (TRL), por exemplo no EMBRAPII. Participou da elaboração e do Comitê Gestor do PRODOC multi-institucional da Bahia, coordenou o PIBIC da UFBA quando idealizou e coordenou a criação do SISBIC UFBA - Sistema de Avaliação de Mérito das Bolsas de Iniciação da UFBA (www.sisbic.ufba.br hospedado pela UFBA). Implantou e coordenou o Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) na UFBA (2005 a 2014), sendo a primeira Coordenadora de Inovação da UFBA. Possui ampla experiência na coordenação de projetos individuais, institucionais e em redes. Desde 2004 coordena a Rede NIT-NE (52 organizações onde foi responsável por mais de 180 bolsas DTI e ITI dos bolsistas atuantes em cada NIT sob orientação imediata dos seus Coordenadores. Criou o Portal da Inovação da Rede NIT-NE / APPITTe com cadastro de usuários, de organizações, de Propriedade Intelectual, Transferência de tecnologia, gestão remota técnica e financeira de projetos, sistema de e-mails, relatórios de gestão, ferramentas dos Núcleos de Inovação Tecnológica, entre outros, e que, em maio/18 compreendia tinha 2.998 usuários, 1.591 inventores cadastrados; 52 organizações de todo o Brasil (academia, governo e empresas); 800 PI cadastradas em diversos e múltiplos setores empresariais (www.portaldainovacao.org hospedado pela UFBA). Desde a criação da Associação Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia ? FORTEC, até hoje, participa de sua gestão em diversos cargos, inclusive Presidente (2014-18). Propôs e está Coordenadora Acadêmica Nacional do PROFNIT ? Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (www.profnit.org.br hospedado pelo FORTEC), gratuito e em cadeia nacional, que, em 2020, compreende 34 Pontos Focais atendendo 21 estados e o Distrito Federal, em 32 cidades do Brasil, com 44% de interiorização, mais de 1.500 alunos e mais de 400 docentes. (Texto informado pelo autor)

Cleydiel Edmar da Silva, UFPI - Universidade Federal do Piauí

Cleydiel Silva é Técnico em Administração pelo IFPI - Instituto Federal do Piauí e Graduando em Matemática na UFPI - Universidade Federla do Piauí.

É diretor de Gestão e Educação do Núcleo Avançado de Educação Empreendedora - NAVE (incubadora do IFPI) e Professor de Matemática do ensino médio na rede privada.

Possui experiência em Gestão Financeira de pequenos negócios e empreendedorismo voltado às startups e negócios digitais.

References

ALCÁZAR, A.; JURADO, J.M.; PABLOS, F.A.; GONZÁLEZ, G.; MARTÍN, M.J. HPLC determination of 2-furaldehyde and 5-hydroxymethyl-2-furaldehyde in alcoholic beverages. Microchemical Journal. 2006.

AUGUSTO, E. A. A. Georreferenciamento de Imóveis Rurais. São Paulo, IRIB, 2006.

BANZI, M. Primeiros Passos Com o Arduino. São Paulo: Novatec, 2011.

BARDY, L. P. C. Competitividade e Desenvolvimento Tecnológico. Visões Estratégicas. (2000).

BIG DATA NOW. 1. Ed. Sebastopol, CA: O’Reilly Media, Inc. 2012.

BOYD, D.; CRAWFORD, K. Six Provocations for Big Data. Oxford Internet Institute’s “A Decade in Internet Time: Symposium on the Dynamics of the Internet and Society” on September 21, 2011. Disponível em: <http://ssrn.com/abstract=1926431>. Acesso em: 27 de Setembro de 2015.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° 11, de 20 de outubro de 2000. Aprova o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade do Mel. Diário Oficial da União, de 23 de outubro de 2000, Seção 1, p. 23, 2000.

BRASIL. Instrução Normativa n.º 007, de 17 de maio de 1999. Diário Oficial, 19 de maio de 1999. Seção 1, Anexos I a VII. Estabelece as normas de produção, tipificação, processamento, envase, distribuição, identificação e de certificação da qualidade para os produtos orgânicos de origem vegetal e animal.

BRASIL. Instrução Normativa n.º 11, de 20 de Outubro de 2000. Diário Oficial, 23 de outubro de 2000. Seção 1, p.16-17. Regulamento técnico de identidade e qualidade do mel.

CHIAVEGATTO FILHO, A. D. P. Uso de big data em saúde no Brasil: perspectivas para um futuro próximo. Aplicações da Epidemiologia. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP). Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 2015.

NOVO, R.; NEVES, J. M. S. Inovação na inteligência analítica por meio do Big Data: Características de diferenciação da abordagem tradicional. Sistemas produtivos: da inovação à sustentabilidade. VIII WORKSHOP DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DO CENTRO PAULA SOUZA. ISSN: 2175-1897. São Paulo, 2013.

SFERRA, H. H.; CORRÊA, A. N. C. J. Big Data. REVISTA DE CIÊNCIA & TECNOLOGIA. Vol. 11. Piracicaba – SP, 2004.

Published

2020-07-16

Issue

Section

Engineering and Technology