Aplicação de técnologias tradicionais no beneficiamento do pescado na Região do baixo Amazonas, Estado do Pará/ Traditional technology application in fish processing in the Region of lower Amazon, State of Para

Marilu Teixeira Amaral, Greyce Kelly da Silva Aparício, Pauliana Leão de Souza, Ângela Maria Lobato dos Santos

Resumo


A fabricação de produtos elaborados a partir de carne de peixe ainda é pouco difundida, havendo ainda poucas fábricas e entrepostos de beneficiamento de pescados que produzam derivados de peixe em larga escala. Os produtos de pescado possuem alto valor nutritivo, sendo excelentes fontes de proteínas, sais minerais, ácidos graxos da série ômega 3 e vitaminas do complexo B. Para prolongar a vida útil do pescado podem ser empregadas variadas técnicas de processamento que além de retardar a oxidação mantendo a qualidade da carne de peixe, agregam valor ao produto final. Embutidos, empanados, defumados, patês, bolinhos e hambúrgueres podem ser elaborados a partir da carne de pescados e seu processamento varia de acordo com a técnica empregada. Este trabalho objetivou elaborar diferentes produtos a partir de tecnologias tradicionais de processamento (defumação, adição de aditivos, empanamento e congelamento) a partir da carne de mapará (Hypophthalmus edentatus). O procedimento foi realizado em diferentes etapas: obtenção da carne de pescado, retirada dos filés (sem pele), obtenção da pasta base de peixe, adição de aditivos e defumação de peixes inteiros, além de outros procedimentos específicos a determinados produtos. Foram elaborados 11 produtos processados a partir da carne de mapará, obtendo-se assim produtos diferenciados e competitivos, apresentando novas opções de escolha ao mercado consumidor do oeste do Pará.


Texto completo:

PDF

Referências


BERNARDINO FILHO, R. et al. Elaboração de hambúrguer formulado com filé de peixe tucunaré (cichla ssp.) Revista Verde (Pombal - PB - Brasil), v 9 , n. 3 , p. 75 - 80, jul-set, 2014.

BRASIL. Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal. Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (RIISPOA). Aprovado pelo decreto n.30.691, 29/03/52, alterados pelos decretos n.1255 de 25/06/62, 1236 de 01/09/94, 1812 de 08/02/96, 2244 de 04/06/97. Brasília, 2008.

BRASIL. Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Instrução normativa n° 20, de 31/07/00. Regulamentos técnicos de identidade e qualidade de almôndegas, fiambre, hambúrguer, kibe, presunto cozido e presunto. Brasília: Ministério da Agricultura e do Abastecimento, 2001.

BRASIL. Ministério da Agricultura. Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal – RIISPOA. Decreto n° 30.691, de 29 de março de 1952. Aprova o novo regulamento da Inspeção indutrial e sanitária de produtos de origem animal. Brasília; 1952.

BRITO, J. C. Processamento de bolinhos utilizando filés e carne mecanica separada (cms) de peixe bagre bandeira (bagre marinus). Monografia apresentada no Curso Técnico em Pesca- Subsequente, do IFPB, Campus Cabedelo, 2014.

CARVALHO Í. R. C. de; et al. Avaliação sensorial de linguiças de peixes. IV encontro nacional dos núcleos de pesquisa aplicada em pesca e aquicultura. Foz do Iguaçu – PR de 5 a 7 de dezembro de 2012.

CERDEIRA, R. G. P. et al. Consumo de pescado e outros alimentos pela populacao ribeirinha do Lago grande de Monte Alegre, PA- Brasil. ACTA Amazônica. 27(3): 213 – 228, 1997.

COELHO, M. F. P.; TAPAJÓS, L.M.de S.; RODRIGUES, M. Políticas Sociais para o desenvolvimento – Superar a pobreza e promover a inclusão. Simpósio Internacional sobre Desenvolvimento. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, UNESCO, 2010.

CORTEZ NETTO J.P, BOSCOLO W.R, FEIDEN A, MALUF M.L.F, FREITAS J.M.A, SIMOES M.R. Formulacao, analises microbiologicas, composicao centesimal e aceitabilidade de empanados de jundia (Rhamdia quelen), pacu (Piaractus mesopotamicus) e tilapia (Oreochromis niloticus). Rev Inst Adolfo Lutz. Sao Paulo, 69(2):181-7, 2010.

COSTA D. P. S; CASSUCCI A. R. Processamento de nuggets de peixe e avaliação sensorial. 48° Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Sociologia Rural. Campo Grande, 25 a 28 de julho de 2010.

IDEC. Consumo sustentável: Manual de educação. Brasília: Consumers International/ MMA/ MEC/IDEC, 2005.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. IBGE Cidades, Monte Alegre-PA. 2015 Disponível em: http://cod.ibge.gov.br/CAX Acesso em: 06 de set/2015.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS - FAO. Norma para galletas de pescado marino y de agua dulce y de mariscos crustáceos y moluscos. 2001. (Codex Stan 222). Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2015

FERREIRA, M.G. Direito humano á alimentação adequada. Monografia apresentada ao Programa de Pós-Graduação do Centro de Formação e Treinamento e Aperfeiçoamento da Câmara dos Deputado/CEFOR 2010. Disponível em: http://bd.camara.gov.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/5810/direito_alimentacao_ferreira.pdf?sequence=1 Acesso em: 23/08/2015.

FERREIRA, M. W; SILVA, V.K; BRESSAN M. C; FARIA P. B; VIEIRA, J. O; ODA S. H. I. Pescados processados: Maior vide de prateleira e maior valor agregado. Boletim de Extensão Rural. Universidade Federal de Larvras, Minas Gerais, 2002.

GOBBO, S.D.; HENRY, F.C. Almôndegas de peixe com aproveitamento de subprodutos do processamento de filetagem. Disponível em: http://www.inicepg.univap.br/cd/INIC_2010/anais/arquivos/RE_0730_0586_01.pdf Acesso em: 08/09/2015

GOMES, R.O. de M. Oficina de processamento do pescado. Núcleo de Pesquisa Aplicada em Pesca Marinha e Aquicultura Familiar, 2009.

GONCALVES, A. A. Tecnologia do Pescado: Ciencia, Tecnologia, Inovação e legislação. Sao Paulo, Atheneu, 2011.

MEIRELLES, F.V.P.; DIONYSIO, R.B. Alimentos: Fontes de substâncias essenciais. 2010. Disponível em: http://web.ccead.puc-rio.br/condigital/mvsl/Sala%20de%20Leitura/conteudos/SL_alimentos.pdf Acesso em: 23/08/2015

NEVES, R. A. M.; MIRA, N. V. M. DE; MARQUEZ, U. M. L. Caracterização de hidrolisados enzimáticos de pescado. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v.24, n.1, p.101-108. 2004.

NUNES, E.; BREDA, J. Manual para uma alimentação saudável. EUROPRESS, 2012 Portugal. Disponível em: http://www.dgs.pt/upload/membro.id/ficheiros/i005536.pdf Acesso em: 23/08/2015.

NUNES, M.L. Defumação. In: OGAWA, M; NUNES, E.L. Manual de pesca: ciência e tecnologia. São Paulo: Livraria Varela, 1999ª. P. 324 – 335. V1.

LANDS, W. E. M. Fish, omega-3 and human health. 2.ed. Champaign: AOCS Press, 2005. 220p.

LINS, P. M. O. Beneficiamento do pescado. Belém, PA: Instituto Federal de Educação, ciência e Tecnologia, 2011.

POLIGNE, I.; COLLIGNAN, A. Quick marination of anchovies (Engraulis enchrasicolus) using acetic and gluconic acids. Quality and stability of the end product. Lebensmittel Wissenschaft und 890 Ciênc. Tecnol. Aliment., Campinas, 31(4): 884-890, out.-dez. 2011 Influence of agitation and solution:fish ratio in marinated anchovy Technologie, v. 33, p. 202-209, 2000.

REPINALDO, F.P.L.; TONINI, J.F. Aproveitamento integral do pescado em comunidades pesqueiras de Jacaraípe, Serra, ES: Abordagens sobre educação para um desenvolvimento sustentável. Anais do VIII Congresso de Ecologia do Brasil, 23 a 28 de Setembro de 2007, Caxambu – MG.

SANTOS, et al. Avaliação dos parâmetros físico-químicos e sensoriais de Ceviche de tilápia em função do tempo de estocagem refrigerada. Scientia Plena. Vol 7 (1). 2011.

SOUZA, A. F. L. de; INHAMUNS, A. J. Análise de rendimento cárneo das principais espécies de peixes comercializadas no Estado do Amazonas, Brasil. Acta Amazônica. vol. 41(2) 2011: 289 – 296, 2011.

VAZ, S. K. Elaboração e caracterização de linguiça fresca “tipo toscana” de tilápia (Oreochromis niloticus). 2005. 113 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia de Alimentos) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v7i1.840

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. revistageintec@gmail.com