Utilização de acelerador linear em Tratamentos radioterápicos: Estudo de inovação em processo em hospital SUS da Serra Gaúcha/ Linear accelerator for use in radiotherapy treatment: Study of process innovation in a SUS hospital of Serra Gaúcha

Andréa Cristina Fermiano Fidelis, Luiz Raimundo Lima Coimbra Neto, Daniele Nespolo, Verena Alice Borelli, Paula Patricia Ganzer, Pelayo Munhoz Olea, Eric Charles Henri Dorion

Resumo


O crescimento das estruturas da saúde e sua complexidade levaram os profissionais de Engenharia Clínica a realizar estudos para desenvolver e implementar programas de gerenciamento das tecnologias de saúde. Desta forma, funcionários desta área, integrados à equipes do sistema de saúde, têm contribuído para viabilizar a utilização de tecnologias que ofereçam maior segurança, funcionalidade e confiabilidade. A área de radioterapia, com o aumento da incidência de casos novos de câncer, somados ao contingenciamento dos recursos financeiros para saúde, alto custo e complexidade dos equipamentos, motivam estudos para o seu adequado gerenciamento. Esta pesquisa objetivou identificar as tecnologias aplicadas no tratamento radioterápico, em particular o acelerador linear, bem como o conceito de inovação, inovação em serviços, inovação em processos e a competitividade adquirida com o auxilio da inovação. O método utilizado na pesquisa possui abordagem qualitativa, com objetivo exploratório e descritivo, com questões semiestruturadas e abertas e envolveu pesquisa bibliográfica sobre o tema de Inovação e sobre o Acelerador Linear, análise de documentos, visita a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia e entrevistas no Hospital Geral de Caxias do Sul, apresentando, por fim, quais os impactos sofridos no hospital e na comunidade a partir da chegada do Acelerador Linea. Os resultados apontaram que houve inovação de processos e de produto, de forma incremental, nos serviços ofertados pelo hospital.


Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 3ª ed. Lisboa: Edições 70, 2004.

BARRAS, R. Towards a theory of innovation in services. Research policy, Amsterdam, v.15, n. 4, p. 161-173, Aug. 1986.

BESKOW, Wayne Brod. Sistema de Informação para o Gerenciamento de Tecnologia Médico-Hospitalar: Metodologia de Desenvolvimento e Implementação de Protótipo. Florianópolis, 2001.

Den Hertog, P. Knowledge-Intensive Business Services as Co-Producers of Innovation. International Journal of Innovation Management , 2000. 491-528.

DOSI, G. The nature of the innovative process. In: DOSI, G. et al (Eds.). Technical change and economic theory. London : Pinter, 1988. p. 221-238.

Freeman, C. The Economics of Industrial Innovation, second edition, Cambridge (Mass.): MIT Press. 1982

GUNDLING, E. The 3M way to innovation: balancing people and profit. New York: Vintage Books, 1999.

GUIMARÃES, Nilmara Almeida. Avaliação Metrológica de tamanho de campo irradiado por aceleradores Lineares. Dissertação Mestrado em Metrologia na PUC Rio de Janeiro; 2011.

LOPES, Maria do Carmo. Um século de terapia com Radiação. Revista Gazeta da Física; vol 30 capitulo 01 - http://gazetadefisica.spf.pt/magazine/article/417, acessado dia 25/10/2014.

LUNDVALL, B.-A. National Systems of Innovation: Towards a Theory of Innovation and Interactive Learning, London: Pinter. 1992

MACHADO, Denise Del Prá Netto. Organizações Inovadoras ORGANIZAÇÕES INOVADORAS: ESTUDO DOS FATORES QUE FORMAM UM AMBIENTE INOVADOR DOI: 10.5585/rai. v4i2. 87. RAI: revista de administração e inovação, v. 4, n. 2, p. 05-28, 2007.

MANUAL DE FRASCATI. Metodologia proposta para a definição da investigação e desenvolvimento experimental. F. Iniciativas, OECD, 2007.

MANUAL DE OSLO. Diretrizes Para Coleta E Interpretação De Dados Sobre Inovação Terceira Ed. Copyright OECD, 2005.

MINISTÉRIO DA SAÚDE (Instituto nacional do Cancêr). ABC do Cancêr: abordagens básicas para o controle do Cancêr. Rio de Janeiro, 2011. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/abc_do_cancer.pdf. Acessado em 27/10/2014.

PAVITT, K. Sectoral Patterns of Technical Change: Towards a Taxonomy and Theory, Research Policy, 13, pp. 343-73 – 1984.

QUEIROZ, Ana Carolina Spolidoro; ALBUQUERQUE, Lindolfo Galvão de and MALIK, Ana Maria. Gestão Estratégica de Pessoas e Inovação: estudos de caso no contexto hospitalar. Rev. Adm. (São Paulo) [online]. 2013, vol.48, n.4

ROGERS, E. M.; SHOEMAKER, F. F. Communication of innovations. New York: Free Press, 1971.

Site Assossiação Brasileira de Física Médica. http://www.abfm.org.br/ - acessado em 10/11/2014.

Site do Hospital Geral de Caxias do Sul. http://www.hgcs.com.br/ acessado em 26 de outubro de 2014.

Site INCA. http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/inca/portal/home - acessado em 26/10/2014.

TIDD. J, J. BESSANT. Inovação e empreendedorismo, 2009 - 3ª ed.

TIDD, Joe. BESSANT, John. PAVITT, Keith. Gestão da inovação. Tradução Elizamari Rodrigues Becker. (et al.) 3º ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.

TIGRE, Paulo Bastos. Gestão da inovação: a economia da tecnologia no Brasil. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

VAN DE VEN, A. H. et al. The Innovation Journey. New York: Oxford University, 1999.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v7i1.772

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. [email protected]