Alinhamento dinâmico na cadeia de suprimentos de uma fabricante do setor automotivo

Isaias Ricardo Carraro, Sandro Manoel Machado

Resumo


A elevada competitividade no segmento automotivo, em especial na indústria de autopeças, tem demandado constante aprimoramento das empresas, não só em relação aos seus produtos, mas, sobretudo em relação aos seus modelos de gestão. Neste sentido, o Alinhamento Dinâmico da Cadeia de Suprimentos ganhou destaque nas últimas décadas como diferencial em termos de competitividade. Nesse contexto, o estudo teve por objetivo identificar o posicionamento de uma empresa do segmento automotivo, fabricante de autopeças, na região da Serra Gaúcha quanto aos quatro elementos estratégicos do modelo de alinhamento dinâmico proposto por John Gattorna, buscando também contribuir com a complementação da teoria ainda pouco explorada sobre o tema. A pesquisa foi desenvolvida por meio do estudo único de caso e natureza quantitativa, com questionário estruturado, aplicado à gerência do Supply Chain da empresa. Os resultados do estudo identificaram o Perfil Integrador, explicitado nos elementos estratégicos, Mercado e Estratégia de Negócios, bem como o Perfil Produtor para os elementos Cultura Organizacional e Estilo de Liderança. A contribuição prática do estudo está no direcionamento dos resultados, como por exemplo, na comparação do posicionamento da empresa estudada com outras empresas do setor, podendo servir de parâmetro para o segmento automotivo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, C.C.R.D. Indústria automobilística brasileira: conjuntura recente e estratégias de desenvolvimento. Indicadores Econômicos FEE, Porto Alegre, v. 34, n. 1, 2006.

BOWERSOX, Donald J.; CLOSS, David J.; COOPER, M. Bixby. Gestão da cadeia de suprimentos e logística. Elsevier, 2008.

BOWERSOX, Donald J. et al. Gestão logística da cadeia de suprimentos. Grupo A Educação, 2013.

BOLSTORFF, P. e ROSENBAUM, R.. Supply chain excellence: a handbook for dramatic improvement using the SCOR model. New York: Amacom. 3ª Ed. 2012.

BUTTNER, Anselmo; MORANO, Rogerio Scabim. Vantagem competitiva através do Planejamento Estratégico: avaliação de firmas brasileiras de autopeças. Revista GEPROS, n. 3, p. 25, 2013.

CARVALHO, E. Globalização e Estratégias Competitivas na Indústria Automobilística: uma abordagem a partir das principais montadoras instaladas no Brasil. Gestão & Produção. V.12, n.1, p.121-133, 2005.

CHOPRA, Sunil; MEINDL, Peter. Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos: estratégia, planejamento e operação. São Paulo: Prentice Hall, 2003.

COOPER, Donald R.; SCHINDLER, Pamela. Métodos de Pesquisa em Administração. 7ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2003.

CSCMP - Council of Supply Chain Management Professional. Supply Chain Management Definitions, 2010. Disponivel em: . Acesso em: 17 Nov. 2014.

DELLA BRUNA JUNIOR, Emílio; ENSSLIN, Leonardo; ENSSLIN, Sandra Rolim. Seleção e análise de um portfólio de artigos sobre avaliação de desempenho na cadeia de suprimentos. Revista GEPROS, n. 1, p. 113, 2012.

FORRESTER, Jay W. Industrial Dynamics, MIT Press, 1960.

FLIGENSPAN, F.B. Novos investimentos na indústria automobilística brasileira: o caso gaúcho. Indicadores Econômicos FEE, Porto Alegre, Brasil, Porto Alegre, v. 30, n. 3, 2002.

GATTORNA, John. Dynamic Supply Chains: delivering value through people. London: FT Prentice, 2010.

GATTORNA, John. Living Supply Chains: Alinhamento dinâmico de cadeia de valor. São Paulo: Pearson, 2009.

GATTORNA, John. Living Supply Chains: How to mobilize the enterprise around delivering what your customer want. London: FT Prentice, 2006.

GLIGOR, David M.; HOLCOMB, Mary. The road to supply chain agility: an RBV perspective on the role of logistics capabilities. The International Journal of Logistics Management, v. 25, n. 1, p. 160-179, 2014.

GOBBO, Simone Cristina de Oliveira et al. Uma análise das estratégias de manufatura adotadas por seis montadoras da indústria automobilística mundial. Revista GEPROS, n.3, p. 11, 2010.

HAIR JR., J. F.; BABIN, B.; MONEY, A.H.; SAMOUEL, P. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Tradução: Lene Belon Ribeiro. Porto Alegre: Bookman, 2005b.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. 2014. Disponível em: . Acesso em 17 jan. 2015.

KOUVELIS, Panos e NIEDERHOFF, Julie. On the globalization of operations and supply chain strategy. Chapter 1. Olin School of Business, 2007.

LEE, Hau L. Creating value through supply chain integration. Supply chain management review, v. 4, n. 4, p. 30-36, 2000.

LEJEUNE, Miguel A. A variable neighborhood decomposition search method for supply chain management planning problems. European Journal of Operational Research, v. 175, n. 2, p. 959-976, 2006.

MARTINS, Ricardo S.; SOUZA FILHO, Osmar V.; PEREIRA, Susana Carla Farias. Alinhamento estratégico nas cadeias de suprimento da indústria automobilística brasileira. READ. Rev. eletrôn. adm. (Porto Alegre), Porto Alegre, v. 18, n. 3, 2012.

MELLAT-PARAST, Mahour; E. SPILLAN, John. Logistics and supply chain process integration as a source of competitive advantage: An empirical analysis. The International Journal of Logistics Management, v. 25, n. 2, p. 289-314, 2014.

MENTZER, John T.; MIN, Soonhong; MICHELLE BOBBITT, L. Toward a unified theory of logistics. International Journal of Physical Distribution & Logistics Management, v. 34, n. 8, p. 606-627, 2004.

PIRES, Sílvio R. I. Gestão da cadeia de suprimentos (supply chain management): conceitos, estratégias, práticas e casos. 2.ed. São Paulo: Atlas, 2009.

SIMECS – SINDICATO DAS INDÚSTRIAS METALÚRGICAS, MECÂNICAS E DE MATERIAL ELÉTRICO DE CAXIAS DO SUL. Disponível em: . Acesso em: 04 dez. 2014.

STADTLER, Hartmut. Supply chain management—an overview. Springer Berlin Heidelberg, 2005.

TORRES, Ricardo Lobato. A indústria automobilística brasileira: uma análise da cadeia de valor. Dissertação (mestrado em Economia) - Universidade Federal de Santa Catarina – Departamento de Ciências Econômicas. Florianópolis, 2011.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e métodos. 4ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v6i3.762

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. revistageintec@gmail.com