CRIAÇÃO DE UMA FERRAMENTA PARA VERIFICAÇÃO DO CONCEITO DE ARRANJO PRODUTIVO LOCAL: APLICAÇÃO NO APL DA INDÚSTRIA DE CALÇADOS DO ESTADO DA PARAÍBA

Kathyana Vanessa Diniz Santos, Ana Camila Rodrigues de Oliveira, Ricardo da Silva Moreira

Resumo


Existem nuances no conceito de arranjos produtivos locais (APL’s) que nem sempre são percebidas e compreendidas quando da aplicação prática. Neste trabalho, foram apresentadas e analisadas as nuances existentes com o objetivo de verificar se a utilização do termo APL adotado pelo Sebrae em seus projetos é congruente com a literatura acadêmica. Como método tem-se um estudo de caso, visto que registrado no órgão existe um único projeto de APL ativo e em gestão (em maio de 2015) de acordo com o SIGEOR (Sistema de Informação da Gestão Estratégica Orientada para Resultados) do próprio Sebrae/PB. O APL analisado foi o da Indústria de Calçados do Estado da Paraíba, com base nos elementos cruciais constituintes de um APL e concluiu-se que este arranjo não apresenta todos os elementos necessários para ser considerado um APL e assim, o Sebrae necessita rever o termo utilizado, não só para corrigir uma divergência conceitual em relação a literatura da academia, mas também para otimizar os processos existentes na própria organização.


Texto completo:

PDF

Referências


ABICALÇADOS – Associação Brasileira das Indústrias de Calçados. Exportações brasileiras de calçados. Disponível em: http://www.abicalcados.com.br/site/inteligencia.php. Acesso em: 15 de maio de 2015.

AMATO NETO, J. Redes de Cooperação Produtiva e Clusters Regionais. São Paulo: Atlas, 2000.

AQUINO, A. L.; BRESCIANI, L. P. Arranjos produtivos locais: uma abordagem conceitual. In: Organizações em contexto, Ano 1, n. 2, dezembro de 2005. São Paulo: 2005.

ARIMOTO, Yutaka; NAKAJIMA, Kentaro; OKAZAKI, Tetsuji. Sources of productivity improvement in industrial clusters: The case of the prewar Japanese silk-reeling industry. Regional Science and Urban Economics 46, pags. 27–41, 2014.

BAIXAR MAPAS. Mapa da Paraíba. Disponível em: . Acesso em: 01 jun. 2015.

CASSIOLATO, J. E. & LASTRES, H. M. M. Arranjos e Sistemas Produtivos Locais na Indústria Brasileira. Revista de Economia Contemporânea. UFRJ, Rio de Janeiro, 2001.

CASSIOLATO, J., LASTRES H. E SZAPIRO, M. Arranjos e sistemas produtivos locais e proposições de políticas de desenvolvimento industrial e tecnológico. NT 27 - Projeto de pesquisa arranjos e sistemas produtivos locais e as novas políticas. Rio de Janeiro, 2000.

CASSIOLATO, José E., SZAPIRO, Marina. Arranjos e sistemas produtivos e inovativos locais no Brasil. [s.l. s.n.], 2002.

DINIZ, C. C.; LEMOS, M. B. (Org.). Economia e território. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

FANG, Yongheng; LIANG, Qian; Jia Zhouping. Knowledge Sharing Risk Warning of Industry Cluster: an Engineering Perspective. Procedia Systems Engineering, pags. 412 – 421, 2011.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estados. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estadosat/perfil.php?sigla=pb. Acesso em: 10 de maio de 2015.

KUPFER, David; HASENCLEVER, Lia. Economia Industrial: Fundamentos teóricos e práticas no Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

KELLER, P. F. Clusters, distritos industriais e cooperação interfirmas: uma revisão da literatura. Revista Economia & Gestão, Belo Horizonte, v. 8, n. 16, p. 1-18, 2008.

LASTRES, H. M. M., ARROIO, A. e LEMOS, C. Políticas de apoio a pequenas empresas: do leito de Pro custo à promoção de sistemas produtivos locais. In: Pequena Empresa (org. Lastres, Cassiolato e Maciel), Relume Dumará, Rio de Janeiro, 2003.

LIRA, Maria Gomes da Conceição; QUEIROZ, Rodrigo Bezerra Remigio de; AZEVEDO, Luciana Cavalcanti de; SILVA, Gracieti de Souza. Levantamento do caráter inovador da pesquisa aplicada desenvolvida no IF SERTÃO-PE. Revista Geintec, São Cristóvão/SE, v. 3, n. 5, p.62-72, 2013.

LOPES, F. D.; BALDI, M. Laços sociais e formação de arranjos organizacionais cooperativos – Proposição de um modelo de análise. Revista de Administração Contemporânea, v. 9, n. 2, p. 81-101, abr-jun, 2005.

MDIC - MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO DA INDÚSTRIA E COMÉRCIO. Observatório Brasileiro de Arranjos Produtivos Locais. Disponível em: . Acesso em: 10 de maio de 2015.

NIE, Pu-yan; SUN, Peng. Search costs generating industrial clusters. Revista Cities. 2014.

PORTER, M. E. Competitive strategy. New York: Free Press, 1980.

QING, Zhang. The research on influence of industrial clusters on regional economic development. Procedia IERI, 2012.

SCHMITZ, H.; NADVI, K. Clustering and industrialization: introduction. World Development, v. 27, n. 9, 1999.

SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Disponível em: . Acesso em: 26 mai. 2015.

VIEIRA, Eliciana Selvina Ferreira Mendes. Aglomerações produtivas e estudos prospectivos: um exercício sobre suas convergências. Revista Geintec, São Cristóvão/SE, v. 3, n. 5, p.221-233, 2013.

WANG, T. A Simulation on Industrial Clusters’ Evolution: Implications and Constraints. Systems Engineering Procedia, 366 – 371, 2012.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v7i3.737

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. revistageintec@gmail.com