Biocatalisadores imobilizados: prospecção de inovações tecnológicas na última década

Ellen Cristine Giese

Resumo


O desenvolvimento de processos biotecnológicos envolvendo o uso de enzimas ou células microbianas imobilizadas tem apresentado considerável destaque nos últimos anos, principalmente pelas vantagens que apresentam em termos de estabilidade e da possibilidade de reutilização em processos contínuos, implicando na facilidade de manuseio e redução dos custos de downstream. Devido à importância do uso de biocatalisadores imobilizados em diferentes áreas da biotecnologia, o objetivo deste trabalho foi analisar o potencial e evolução das competências tecnológicas através da análise das patentes depositadas na base de dados da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI) na última década. Entre os anos de 2005 e 2014, cerca de 800 patentes foram depositadas na Patenstcope, sendo a China o país que se destacou neste panorama mundial com 329 pedidos de patente, o que corresponde a 40,9% dos  pedidos de patentes localizados. As principais áreas de destaque em tecnologias correlatas aos micro-organismos ou enzimas e suas composições foram as preparações para finalidades médicas, ortodônticas e higiênicas; seguidas pelos processos fermentativos ou que utilizam enzimas para sintetizar compostos de interesse. Doravante esta prospecção de inovações tecnológicas utilizando biocatalisadores imobilizados, ficou evidente a necessidade do Brasil ampliar as políticas públicas de apoio à pesquisa básica após compreensão de como as possibilidades de inovações biotecnológicas podem promover o desenvolvimento econômico a partir do incentivo às instituições de ensino e de pesquisa.

Texto completo:

PDF

Referências


BRENA, B. M.; BATISTA-VIEIRA, F. Immobilization of enzymes. In: GUISAN, J. M. Methods in biotechnology: immobilization of enzymes and cells. Second Edition. Humana Press Inc.: New Jersey, p. 15-30, 2006.

BROFMAN, P. R. A importância das publicações científicas. Cogitare Enfermagem, v. 17, n. 3, jul./set. p. 419-421, 2012. Disponível em: . Acessado em: 29 de setembro de 2014.

CANILHA, L.; CARVALHO, W.; SILVA, J. B. A. Biocatalisadores Imobilizados: Uso de enzimas e células imobilizadas em processos biotecnológicos. Revista Biotecnologia, Ciência & Desenvolvimento, ano 9, n. 36, jan./jun., p. 48-57, 2006.

CARVALHO, W.; CANILHA, L. SILVA, S. S. Uso de biocatalisadores imobilizados: uma alternativa para a condução de bioprocessos. Revista Analytica, n. 23, jun./jul., p. 60-70, 2006.

COVIZZI, L. G.; GIESE, E. C.; GOMES, E.; DEKKER, R. F. H.; DA SILVA, R. Imobilização de células microbianas e suas aplicações biotecnológicas. Semina: Ciências Exatas e Tecnológicas, v. 28, n. 2, p. 143-160, 2007.

FEDERMAN, S. R. Publicar ou depositar a patente? Conhecimento & Inovação [online], v. 6, n. 1, p. 48-49, 2010. Disponível em: < http://inovacao.scielo.br/pdf/cinov/v6n1/17.pdf>. Acessado em: 29 de setembro de 2014.

GASHTASBI, F.; AHMADIAN, G.; NOGHABI, K. A. New insights into the effectiveness of alpha-amylase enzyme presentation on the Bacillus subtilis spore surface by adsorption and covalent immobilization. Enzyme and Microbial Technology, v. 64–65, p. 17-23, 2014.

GIESE, E. C.; HIROSI, T.; CORRADI DA SILVA, M. L.; DA SILVA, R.; BARBOSA, A. M. Produção, propriedades e aplicações de oligossacarídeos. Semina: Ciências Agrárias, v. 32, n. 2, abr/jun., p. 683-700, 2011.

MESSIAS, J. M.; COSTA, B. Z.; LIMA, V. M. G.; GIESE, E. C.; DEKKER, R. F. H.; BARBOSA, A. M. Lipases microbianas: Produção, propriedades e aplicações biotecnológicas. Semina: Ciências Exatas e Tecnológicas, v. 32, n. 2, p. 213-234, 2011.

NISHA, S.; KARTHICK, A. S.; GOBI, N. A review on methods, application and properties of immobilized enzyme. Chemical Science Review and Letters, v. 1, n. 3, p. 148-155, 2012.

OLIVEIRA, R. B.; LIMA, E. M. Polímeros na obtenção de sistemas de liberação de fármacos. Revista Eletrônica de Farmácia, v. 3, n.1, p. 29-35, 2006.

PATENTSCOPE. Disponível em: .

Publicação Oficial Classificação Internacional de Patentes (IPC). Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI). Versão 2014.1. Disponível em: . Acessado em: 29 de setembro de 2014.

SOUZA, S. F. D. Trends in immobilized enzyme and cell technology. Indian Journal of Biotechnology, v. 1, oct., p. 321-338, 2002.

SOUZA, T. A.; OLIVEIRA, D. D.; SALES, E. M. Prospecção tecnológica: moléculas bioativas derivadas de produtos naturais. Revista GEINTEC, v. 3, n. 5, p.148-154, 2013.

TAMPION, J.; TAMPION, M. D. Immobilized cells: principles and applications. New York: Cambridge University Press. 257 p., 1988.

Tratado de Cooperação em matéria de Patentes (PCT). Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI). Disponível em: . Acessado em: 29 de setembro de 2014.

ZUCOLOTO, G. F.; FREITAS, R. E. (Org.) Propriedade intelectual e aspectos regulatórios em biotecnologia. Rio de Janeiro: IPEA. 240 p., 2013.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v5i3.517

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. revistageintec@gmail.com