Prospecção científica e tecnológica das espécies Combretum Duarteanum Cambess e Combretum Mellifluum Eichler

Ruth Raquel Soares de Farias, Erika Thalyta Veras Pereira, Mariana Helena Chaves, Antonio Alberto Jorge Farias Castro

Resumo


O gênero Combretum é nativo do nordeste brasileiro, sendo o maior da família Combretaceae, compreendendo 370 espécies com distribuição tropical e subtropical. Plantas deste gênero são empregadas no tratamento de câncer, lepra, dores lombares, dor de cabeça, resfriados, infertilidade feminina, doenças cardíacas, picadas de cobras e escorpião, infecções, diabetes, malária, hemorragias, diarreia, desordens digestivas e como diurético. Duas espécies deste gênero, Combretum duarteanum e C. mellifluum foram escolhidas para o estudo e o nome científico das mesmas foram utilizados como palavras-chave. As prospecções tecnológica e científica foram desenvolvidas com busca nos bancos de dados eletrônicos: European Patente Office (EPO), World Intellectual Property Organization (WIPO), United States Patent and Trademark Office (USPTO), Derwent Innovations Index® (DII), Banco Latinoamericano de Patentes (LATIPAT) Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), Pubmed, ScienceDirect, Web of Science, ScinFinder e Periódicos Capes. Nenhum registro de patente foi encontrado para as espécies. Os artigos encontrados nos bancos de dados Pubmed, ScinFinfer e Periódicos Capes com a espécie C. duarteanum reportam‑se aos mesmos trabalhos, com exceção dos Periódicos Capes que possui um trabalho a mais. Para espécie C. mellifluum não há artigos publicados. Devido à lacuna observada na prospecção desenvolvida com as espécies C. duarteanum e C. mellifluum, o estudo destas se faz necessário para ampliar o conhecimento químico e farmacológico fornecendo dados que venham contribuir para o entendimento das mesmas, além de valorizar a biodiversidade e a preservação da espécie e de seu ambiente.


Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, U. P. et al. Medicinal plants of the caatinga (semi-arid) vegetation of NE Brazil: A quantitative approach. Journal of etnopharmacology, v. 144, p. 325-354, 2007.

BARROSO, G. M. et al. Sistemática de angiosperma do Brasil. Viçosa: UFV Editora, v. 2, 1991.

CALIXTO, J. B. Biodiversidade como fonte de medicamento. Ciência e Cultura. São Paulo, v. 55, n.3, Jul./Set. 2003

FORZZA, R. C. (Org.) et al. Catálogo de plantas e fungos do Brasil. Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, v.01, 2010.

FYHRQUIST, P. et al. Etnobotanical and antimicrobial investigation on some species of Terminalia and Combretum (Combretaceae) growing in Tanzania. Journal of etnopharmacology, v. 79, p. 169-177, 2002.

GOUVEIA, M. G. S. et al. Antioxidant, Antinociceptive, and Anti-inflammatory Properties of the Ethanolic Extract of Combretum duarteanum in Rodents. Journal of Medicinal Food, v. 14, p. 1389-1396, 2011.

JOLY, A. B. Botânica - Introdução à Taxonomia. 13 ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, p. 516-517, 2002.

KATERERE, D. R. et al. Antimicrobial activity of pentacyclic triterpenes isolated from African Combretaceae. Phytochemistry, v. 63, p. 81-99, 2003.

LIMA, G. R. M. et al. Bioactivities of the Genus Combretum (Combretaceae): A Review. Molecules, v. 17, p. 9142-9206, 2012.

LIMA, G. R. M. et al. Gastroprotective activity of the ethanolic extract and hexane phase of Combretum duarteanum Cambess, (Combretaceae). Journal of Natural Medicines, v. 67, p. 492-502, 2013.

LOIOLA, M. I. B.; SALES, M. F. Estudos taxonômicos do gênero Combretum Loefl. (Combretaceae) em Pernambuco, Brasil. Arch. Jard. Bot. Rio de Janeiro, v. 34, p. 173-188. 1996.

NASCIMENTO, J. M.; CONCEIÇÃO, G. M. da. Plantas medicinais e indicações terapêuticas da comunidade quilombola Olho d'Água do Raposo, Caxias, Maranhão, Brasil. BioFar, Campina Grande (PB), v. 6, n. 2, 2011.

QUITANS, J. S. S. et al. Phytochemical study and antinociceptive effect of the hexanic extract of leaves from Combretum duarteanum and friedelin, a triterpene isolated from the hexanic extract, in orofacial nociceptive protocols. Revista Brasileira de Farmacognosia, v. 24, p. 60-66, 2014.

SOUZA, V. C.; LORENZI, H. Botânica Sistemática: Guia ilustrado p/ identificação das famílias de Angiospermas da flora brasileira, baseado em APG II. Instituto, 2008.

STACE, C. A. Combretaceae: Terminalia and Buchenavia. New York: The New York Botanical Garden Press, 2010. p. 59-77. 26cm. (Flora Neotropical Monograph 107).




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v5i1.498

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. [email protected]