Balanced Scorecard: estratégia de gestão vinculada à melhoria da qualidade organizacional

Juliana Andréia Rüdell Boligon, Leoni Pentiado Godoy, Flaviani Souto Bolzan Medeiros

Resumo


As decisões gerenciais têm sido fortemente marcadas pela necessidade de aplicação de novas técnicas e ferramentas de gestão. Nesse sentido, o Balanced Scorecard (BSC), inicialmente concebido como um sistema de avaliação organizacional e, posteriormente, tido como uma metodologia de gestão estratégica é uma sistemática de gestão capaz de concentrar energia e recursos da organização no que é essencial - seu sucesso na criação de valor. Dessa forma, este artigo propõe-se a analisar de que forma o BSC, como sistemática de gestão, pode servir de ferramenta para apoio ao desdobramento das estratégias organizacionais e contribuir para a melhoria contínua da qualidade organizacional. Para a coleta das informações, empregou-se a observação simples e entrevista pré-estruturada aplicada à gerência da organização em estudo. Diante do aporte dessas informações, propôs-se uma metodologia de implantação do BSC na organização através do cumprimento de três estágios: conhecer e interpretar a missão, a visão e a estratégia da empresa; levantamento e estruturação dos indicadores estratégicos e, efetivação da estrutura de indicadores estratégicos. Como resultados, obteve-se o conhecimento de quais são os principais benefícios auferidos com o BSC, bem como alguns pontos críticos sendo o BSC uma possibilidade de alinhar estratégia, processos e pessoas em busca de um objetivo comum.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, M. M. de. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação. 9. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

ASSIRI, A.; ZAIRI, M.; EID, R. How to profit from the balanced scorecard. Industrial Management & Data Systems, v. 106, n. 7, p. 937-952, 2006.

DAVIS, S.; ALBRIGHT, T. An investigation of the effect of balanced scorecard implementation of financial performance. Management Accounting Research, v. 15, n. 2, p. 135-153, jun. 2004.

DIETSCHI, D. A; NASCIMENTO, A. M. Um estudo sobre a aderência do balanced scorecard às empresas abertas e fechadas. Revista Contabilidade & Finanças – USP, São Paulo, v. 19, n. 46, p. 73-85, jan./abr. 2007.

ERGANG, S. Estratégias de marketing de relacionamento na rede Sinodal de educação: a relação entre as expectativas e a percepção da qualidade em serviços. 156 f. 2007. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2007.

FARNETI, F.; GUTHRIE, J. Italian and Australian local governments: balanced scorecard practices. A research note. Journal of Human Resource Costing & Accounting, v. 12, n. 1, 2008.

FERNANDES, B. H. R.; FLEURY; M. T. L.; MILLS, J. Construindo o diálogo entre competência, recursos e desempenho organizacional. RAE - Revista de Administração de Empresas, v. 46, n. 4, p. 48-65, out./dez. 2006.

GONÇALVES, C. A.; OLIVEIRA, D. F. A última disciplina da administração: um estudo didático e integrado de um modelo de planejamento estratégico. Revista de Administração da UFSM, Santa Maria, v. 1, n. 2, p. 225-240, mai./ago. 2008.

GURD, B.; GAO, T. Lives in the balance: an analysis of the balanced scorecard (BSC) in healthcare organizations. International Journal of Productivity and Performance Management, v. 57, n. 1, p. 6-21, 2008.

ITTNER, C. D.; LARCKER, D. F.; RANDALL, T. Performance implications of strategic performance measurement in financial services firms. Accounting, Organizations and Society, Oxford, v. 28, n. 7 e 8, p. 715-741, out./nov. 2003.

KALLAS, D. Balanced scorecard: aplicação e impactos. Um estudo com jogos de empresas. 196 f. 2003. Dissertação (Mestrado em Administração) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

KALLAS, D.; COUTINHO, A. R. Gestão da estratégia: experiências e lições de empresas brasileiras. 3. reimp. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. Mapas estratégicos: balanced scorecard. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

_____; _____. Organização orientada para estratégia: como as empresas adotam o Balanced Scorecard. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

LIMA, A. C. C.; CAVALCANTI, A. A.; PONTE, V. Da onda da gestão da qualidade a uma filosofia da qualidade da gestão: balanced scorecard promovendo mudanças. Revista Contabilidade & Finanças - USP, São Paulo, Edição Especial, p. 79-94, jun. 2004.

MACCARRONE, V. et al. The ICZM balanced scorecard: a tool for putting integrated coastal zone management into action Marine Policy, v. 44, 321-334, 2014.

MALINA, M. A.; SELTO, F. H. Communicating and controlling strategy: an empirical study of the effectiveness of the balanced scorecard. Journal of Management Accounting Research, Sarasota, v. 13, p. 47-90, 2001.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

MINTZBERG, H. Criando organizações eficazes: estruturas em cinco configurações. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MODELL, S. Bundling management control innovations: A field study of organizational experimenting with total quality management and the balanced scorecard. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v. 22, n. 1, p. 59-90, 2009.

NETO, A. C. A utilização do QFD para melhoria contínua dos processos produtivos e combate ao desperdício em indústria do setor metal mecânico. 128 f. 2008. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2008.

OTHMAN, R. Enhancing the effectiveness o the balanced scorecard with scenario planning. International Journal of Productivity and Performance Management, v. 57, n. 3, p. 259-266, 2008.

PALADINI, E. P. Gestão da qualidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2004.

PETERS, D. H. et al. O balanced scorecard for health services in Afghanistan. Bulletin of the World Health Organization, p. 85, 146-151, 2007.

PIZZINATTO, N. K.; FARAH, O. E. (Orgs.). Pesquisa pura e aplicada para marketing: processos e aplicações. São Paulo: Atlas, 2012.

RUAS, E. B. Criação de indicadores estratégicos para o instituto de pesquisas tecnológicas do estado de São Paulo S.A – IPT. RAE-Eletrônica, v. 2, n. 1, jan./jun., 2003.

SILVA, C. H; FRANZOI, L.; MERINO, E. A. D. Gestão em design: balanced scorecard como ferramenta para o design estratégico. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DE PESQUISA EM DESIGN, 2007, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro, 2007. CD-ROM.

ZAHIRUL, H. 20 years of studies on the balanced scorecard: trends, accomplishments, gaps and opportunities for future research. The British Accounting Review, p. 1-27, 2013.

ZORZI, A. Explorando interfaces entre as ferramentas BSC e metodologia MCDA-C: construção de um modelo de gestão para o setor de contabilidade de uma entidade fechada de previdência complementar. 184 f. 2007. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v4i3.360

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. revistageintec@gmail.com