Utilização do serviço pós-venda como vantagem competitiva: uso do modelo de armas e campos de competição na empresa Tramontina Teec S.A

Alexandra Andreis, Kelly Ferraresi Maciel, Patrícia Boaria Tomazel, Paulo Fernando Pinto Barcellos

Resumo


Este artigo teve como objetivo analisar a utilização do pós-venda da Tramontina TEEC S.A, como diferencial competitivo em meio as vantagens competitivas do modelo Campo e Armas de Competição: preço, produto, prazo, atendimento e imagem. Procurou-se por meio da pesquisa entender como o campo atendimento encontrava-se dentro da empresa estudada, e como o pós-venda, integrante deste campo, estava situado na organização, no quesito competitividade. Foi utilizada a metodologia de estudo de caso exploratório qualitativo. As técnicas de pesquisa foram entrevistas em profundidade com vinte clientes da empresa Tramontina TEEC S.A e análise de documentos da empresa. Os resultados foram analisados com base no modelo de Campos e Armas de Competição de Contador, por descrever e classificar as vantagens competitivas detalhadamente. Como resultado, foi observada a importância que a pós-venda possui, ligada ao campo atendimento, sendo considerado pelos entrevistados um diferencial no mercado. A principal contribuição desta pesquisa foi o entendimento da pós-venda como uma vantagem competitiva ligada ao interesse do consumidor que por consequência, poderá determinar competição no ambiente por meio de suas preferências e percepções advindas do atendimento prestado

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, I. (1994). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições Setenta.

BESANKO, D.; DRANOVE, D.; SHANLEY, M. (2000). Economics of strategy. New York: Wiley.

COBRA, M.. (2001). Administração de Vendas.4. ed. São Paulo: Atlas.

COFF, R. W. (2010). The coevolution of rent appropriation and capability development. Strategic Management Journal, v. 31, n. 7, p. 711-733.

CONTADOR, J.C. (2008). Campos e Armas de Competição. São Paulo: Saint Paul.

CORRÊA, H.L; CAON, M. (2002). Gestão de Serviços. São Paulo: Atlas.

DRANOVE,D.; MARCIANO, S. (2007). Estratégia: conceitos, ferramentas e modelos para profissionais. São Paulo:Atlas.

GEBAUER, H. (2008). Identifying service strategies in product manufacturing companies by exploring environment – strategy configurations. Industrial Marketing Management, v. 37, n. 3, p. 278-291.

GOBÉ, MARC. (2002). A emoção das marcas: conectando marcas às pessoas. Rio de Janeiro: Campus.

GRÖNROOS, C. (2002). Relationship marketing: the Nordic school perspective. In: Handbook of relationship marketing. Thousand Oaks, Sage, p. 95-117.

HITT, M. A.; IRELAND, R. D.;HOSKISSON,R.E. (2002) Administração Estratégica. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.

KAPLAN, R.S; NORTON, DP. (2004). Organização Orientada para a Estratégia: Como as empresas que adotam o balancead scorecard prosperam no novo ambiente de negócios. 8 ed. RJ: Elsevier.

LAS CASAS, ALEXANDRE LUZZI. (2000). Marketing de serviços. 2ed. São Paulo: Atlas.

LOVELOCK, C.. WRIGHT, L.. (2002). Serviços: marketing e gestão. São Paulo: Saraiva.

NEUMANN, S. E. (2011). Administração de Serviços. Curitiba, PR: IESDE.

POLIDORO, I.C. (2003). A convergência Essencial: marketing e planejamento integrados nas definições estratégias das organizações. Caxias do Sul: Educs.

PORTER, MICHAEL E. (1994). Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. 7 ed. Rio de Janeiro: Campus.

PORTER, MICHAEL E.; MONTGOMERY, CYNTHIA A. (1998). Estratégia: a busca da vantagem competitiva. Rio de Janeiro: Campus.

POWELL, T. C. (2001). Competitive advantage: logical and philosophical considerations. Strategic Management Journal, 22(9), 875-888.DOI: 10.1002/smj.173.

ROSA, SILVANA GOULART MACHADO. (2004). O poder do pós venda. 2. ed. Porto Alegre: SEBRAE/RS.

RUMELT, RICHARD P. (2011).Estratégia boa, Estratégia ruim: descubra suas diferenças e importância.. Rio de Janeiro: Elsevier.

WAGNER, S.; ZELLWEGER, T.; LINDEMANN, E. (2007).Erfolgreiches After Sales Service Management: Durch einen strategie- und lebenszyklusorientierten Ansatz lassen sich Potenziale ausschöpfen. Industrie Management, v. 23, n. 1, p. 60-63, 2007.

YIN, ROBERT, K. (2010). Estudo de caso: planejamento e métodos. 4 ed. Porto Alegre: Bookman




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v4i1.272

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. [email protected]