Caracterização e armazenamento de farinhas obtidas a partir do resíduo de caju (Anacardium occidentale l.)

Authors

  • João Antonio Belmino dos Santos Universidade Federal de Sergipe / PPGPI
  • Willams Andrade Lima Universidade Federal de Sergipe
  • Patrícia Beltrão Lessa Constant Universidade Federal de Sergipe
  • Marcelo Augusto Gutierrez Carnlelossi Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.7198/geintec.v3i4.225

Abstract

O Brasil é o terceiro maior produtor de frutas, com uma produção que superou 44 milhões de toneladas no ano de 2007, e com a indiscutível necessidade do aumento da produção de frutas e ampliar as exportações, torna-se imprescindível reduzir as perdas que ocorrem em toda cadeia produtiva. Além do desperdício, existe a crescente preocupação com o descarte, uma vez que pode levar a problemas ambientais. Este trabalho teve como objetivo produzir farinhas a partir de resíduos de caju por secagem em secador de circulação de ar forçado. A secagem foi realizada nas temperaturas de 50°C e 60°C. Foram avaliadas as alterações físico-químicas das farinhas após a secagem. Foi analisada a estabilidade das farinhas no armazenamento. O teor de umidade das farinhas atendeu os padrões exigidos pela legislação vigente. Verificou-se teor inicial de Vitamina C de 50,3mg/100g na farinha produzida pela secagem na temperatura de 50°C e de 47,7mg/100g em 60°C. No fim do armazenamento o teor de Vitamina C foi de 20,5mg/100g na farinha produzida pela secagem na temperatura de 50°C e de 15,1mg/100g em 60°C. As farinhas mostraram características, como o teor de Vitamina C, adequadas para o aproveitamento, portanto, para o desenvolvimento de novos produtos.

Author Biography

João Antonio Belmino dos Santos, Universidade Federal de Sergipe / PPGPI

Departamento de Tecnologia de Alimentos

Published

2013-12-03

Issue

Section

Artigos (Ativos de 2011 até 2014)