Abordagem sobre o Desenvolvimento de Tecnologia (Software e Hardware) para Analisar os Fatores de Risco da Produção Industrial de Mel

Marcus Vinícius Dantas Linhares, Cristina Maria Quintella, Cleydiel Edmar da Silva

Resumo


Este artigo apresenta as etapas do desenvolvimento de uma tecnologia autoral de controle e gestão da cadeia produtiva do mel, capaz de realizar: (i) o processamento dos dados de condições naturais e logísticas que influenciam a produção do mel, para diagnosticar e prever os fatores de risco de bioprocesso de Fermentação e do processo de aumento do HMF (hidroximetilfurfural), por meio do mecanismo tecnológico de Big Data; (ii) a automatização dos registros de indicadores de umidade do mel, umidade relativa do ar e de temperatura ambiente, para relacionar e integrar às análises laboratoriais e definir as condições ideais para a diminuição dos fatores de riscos.

Palavras-chave


mel; software; hardware; fatores de risco.

Texto completo:

PDF

Referências


ALCÁZAR, A.; JURADO, J.M.; PABLOS, F.A.; GONZÁLEZ, G.; MARTÍN, M.J. HPLC determination of 2-furaldehyde and 5-hydroxymethyl-2-furaldehyde in alcoholic beverages. Microchemical Journal. 2006.

AUGUSTO, E. A. A. Georreferenciamento de Imóveis Rurais. São Paulo, IRIB, 2006.

BANZI, M. Primeiros Passos Com o Arduino. São Paulo: Novatec, 2011.

BARDY, L. P. C. Competitividade e Desenvolvimento Tecnológico. Visões Estratégicas. (2000).

BIG DATA NOW. 1. Ed. Sebastopol, CA: O’Reilly Media, Inc. 2012.

BOYD, D.; CRAWFORD, K. Six Provocations for Big Data. Oxford Internet Institute’s “A Decade in Internet Time: Symposium on the Dynamics of the Internet and Society” on September 21, 2011. Disponível em: . Acesso em: 27 de Setembro de 2015.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n° 11, de 20 de outubro de 2000. Aprova o Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade do Mel. Diário Oficial da União, de 23 de outubro de 2000, Seção 1, p. 23, 2000.

BRASIL. Instrução Normativa n.º 007, de 17 de maio de 1999. Diário Oficial, 19 de maio de 1999. Seção 1, Anexos I a VII. Estabelece as normas de produção, tipificação, processamento, envase, distribuição, identificação e de certificação da qualidade para os produtos orgânicos de origem vegetal e animal.

BRASIL. Instrução Normativa n.º 11, de 20 de Outubro de 2000. Diário Oficial, 23 de outubro de 2000. Seção 1, p.16-17. Regulamento técnico de identidade e qualidade do mel.

CHIAVEGATTO FILHO, A. D. P. Uso de big data em saúde no Brasil: perspectivas para um futuro próximo. Aplicações da Epidemiologia. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (FSP-USP). Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 2015.

NOVO, R.; NEVES, J. M. S. Inovação na inteligência analítica por meio do Big Data: Características de diferenciação da abordagem tradicional. Sistemas produtivos: da inovação à sustentabilidade. VIII WORKSHOP DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DO CENTRO PAULA SOUZA. ISSN: 2175-1897. São Paulo, 2013.

SFERRA, H. H.; CORRÊA, A. N. C. J. Big Data. REVISTA DE CIÊNCIA & TECNOLOGIA. Vol. 11. Piracicaba – SP, 2004.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v10i3.1458

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. [email protected]