BSC model for technology transfer offices

Evelyn Seilhe Guerreiro, Elias Ramos de Souza

Resumo


O objetivo deste artigo é apresentar um modelo de Balanced Scorecard (BSC) que atenda às especificidades dos Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT’s) das Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICT’s). A escolha do BSC como a melhor abordagem para auxiliar na elaboração do planejamento estratégico de NIT’s de ICT’s está em conformidade com o conceito de gestão pública focada no cliente e nos interesses da sociedade. É importante destacar que os modelos de BSC para o setor público foram pensados e construídos com o intuito de atender a organizações públicas em geral. Tais modelos, no entanto, não se adequam totalmente aos NIT’s: apesar de integrarem organizações públicas — ou ainda organizações privadas sem fins lucrativos —, esses Núcleos atuam em relação estreita com o setor produtivo e demais atores do sistema de inovação, o que deve resultar em especificidades no modelo de planejamento estratégico. O modelo desenvolvido nesta pesquisa acrescenta as perspectivas Inovação e Sociedade às quatro perspectivas estabelecidas no modelo clássico de BSC.


Palavras-chave


BSC; NIT; ICT; gestão; inovação

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, A. J. S. e LEHFELD, N. A. S. Fundamentos de Metodologia: Um Guia para a Iniciação Científica. 2 Ed. São Paulo: Makron Books, 2000.

CASSIOLATO, J. E.; LASTRES, H. M.M. Sistemas de inovação e desenvolvimento: as implicações de política, São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v.19, n.1, p 34-45, jan. / mar. 2005.

ETZKOWITZ, H.; ZHOU, C. Hélice Tríplice: inovação e empreendedorismo universidade-indústria-governo. Estudos avançados, 2017, vol.31, n.90, pp.23-48. Disponível em: Acesso em: 08 jul 2018.

GHELMAN, S.; COSTA, S. R. R. Adaptando o BSC para o setor público utilizando os conceitos de efetividade, eficácia e eficiência, 2006. Disponível em: http://www.simpep.feb.unesp.br/anais/anais_13/artigos/137.pdf Acesso em 24 jul 2018.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. Organização orientada para a estratégia: como as empresas que adotam o balanced scorecard prosperam no novo ambiente de negócios. Rio de Janeiro: Elsevier, 2000.

MARTINS, Ana Elisa. Proposta de modelo de gerenciamento e medição de desempenho numa instituição de pesquisa tecnológica do setor público, com foco no cidadão, Universidade Federal do Rio de Janeiro - Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção), p. 139. Rio de Janeiro, 2005.

MAHL, A.; RAMOS DE SOUZA, E. Sistemas de Inovação. In: MENEZES, A.M.F, CAMPOS, M.F.H., RIBEIRO, N.M. (Orgs.). Inovação numa perspectiva multidisciplinar. Salvador: EDUNEB, 2012.

MULLER, João. Desenvolvimento de modelo de gestão aplicado à universidade, tendo por base o balanced scorecard, 2001. Disponível em: < https://core.ac.uk/download/pdf/30363268.pdf> Acesso em: 24 jul 2018.

OCDE. Manual de Oslo: diretrizes para a coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica. Publicado pela FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos), 3ª edição, 2005.

OLIVEIRA, D. A. F. B.; PEREIRA, B. A.; FIGLIOLI, A.; VIEIRA, D. M.; REZENDE, S. R. G. A concepção e os mecanismos para a criação da Agência Goiana de Inovação, para o desenvolvimento tecnológico e inovador das potencialidades produtivas das cidades goianas, Amprotec XXII Seminário nacional de parques tecnológicos e incubadoras de empresas, 2013. Disponível em: < http://anprotec.org.br/anprotec2014/files/artigos/artigo%20(52).pdf> Acesso em: 10 jul 2018.

SÁBATO, J. ; BOTANA, N. La ciencia y La tecnología en El desarrollo futuro de America Latina. Revista Integr Latino Americana. Nov. 1968.

SILVEIRA, Rogério. Avaliação dos indicadores de desempenho de Instituições Federais de Educação Tecnológica do Brasil, na abordagem do balanced scorecard, 2008. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/14935/1/RogerioCB.pdf> Acesso em: 24 jul 2018.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K. Gestão da inovação. 3 ed. São Paulo: Artmed, 2008.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v9i2.1360

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. revistageintec@gmail.com