Utilização de plantas medicinais para o tratamento da depressão: uma prospecção tecnológica

Antonia Amanda Cardoso Almeida, Rusbene Bruno Fonseca de Carvalho, Mayara Ladeira Coelho, Rivelilson Mendes de Freitas

Resumo


Os estudos com plantas medicinais são crescentes devido à sua capacidade de produzir moléculas com atividade terapêutica, utilizadas para diversos fins terapêuticos. Muitas atividades biológicas atribuídas às plantas foram comprovadas, dentre elas a atuação no sistema nervoso central sendo utilizadas para o tratamento e/ou prevenção de transtornos psicossociais como ansiedade e depressão. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi realizar uma prospecção tecnológica do uso de plantas medicinais para o tratamento e/ou prevenção do transtorno de ansiedade por meio do mapeamento de patentes nas bases de dados do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI), Banco Europeu de Patentes (BEP) e no Banco Americano de Marcas e Patentes (BAMP). A classificação internacional mais abundante nessa prospecção foi A61K, que trata de preparações para finalidades médicas, odontológicas ou higiênicas. O maior número de patentes foi depositado nos últimos 5 anos. Dentre os maiores depositários, estão Japão e China.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v3i2.116

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. [email protected]