Contributions of the balanced scorecard to a transport company of Serra Gaúcha

Rodrigo Leonardo Pereira Dias, Rodrigo Marques de Almeida Guerra, Susana Elisabeth Neumann, Maria Emília Camargo

Resumo


Este artigo tem como objetivo identificar as principais contribuições do Balanced Scorecard (BSC) para a área de logística de uma transportadora de médio porte. Para tanto, foi realizada uma abordagem qualitativa, de caráter exploratório e descritiva, a partir da estratégia de pesquisa estudo de caso. O resultado do estudo sugere potenciais indicadores relacionados à perspectiva financeira, de clientes, de processos internos, e de aprendizagem e crescimento. Com base nisso, as fórmulas de cálculo podem auxiliar na melhoria da gestão logística, particularmente em relação às empresas de pequeno porte.

 



Palavras-chave


Management; financial; internal processes; learning; growth.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTONSEN, Y. The downside of the Balanced Scorecard: a case study from Norway. Scandinavian Journal of Management , v.30, n.1, p. 40-50, 2014.

BAEZA-YATES, R.; RIBEIRO NETO, B. Fundamentos de administração financeira. Traduzido por Leonardo Zílio e Rafaela Guimarães Barbosa. Porto Alegre: Bookman, 2010.

BUARQUE, R. C. S.; SILVA FILHO, J. C. G. da; MIRANDA, L. C. Medição de desempenho em empresas de transporte rodoviário de cargas: uma investigação em Recife/PE. Dissertação (Graduação em Administração) – Universidade Federal de Pernambuco, Pernambuco, 2003.

COELHO, L. C. Indicadores de desempenho (kpi) para transportes. Disponível em: . Acesso em: 28 de set. 2014.

CORRÊA, J. Marketing: a teoria em prática. Rio de Janeiro: Senac, 2009.

DAYCHOUM, M. 40 ferramentas e técnicas de gerenciamento. 3. ed. Rio de Janeiro: Brasport, 2007.

DRUSKIS, F. M.; SIQUEIRA, A. M. Gestão estratégica empresarial baseada no balanced scorecard: uma abordagem prática através da proposta de um mapa estratégico. In: SIMPÓSIO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 19, 2012, São Paulo. Anais... São Paulo: SIMPEP 2012.

ETHOS, Instituto de empresas e responsabilidade social. Responsabilidade social nas empresas: a contribuição das universidades. São Paulo: Peirópolis, 2008.

FERNANDES, A. A.; ABREU, V. F. de. Implantando a governança de ti: da estratégia à gestão dos processos e serviços. 2. ed. Rio de Janeiro: Brasport, 2008.

FRÖHLICH, E. R.; DORNELES, S. B. Elaboração de monografia na área de desenvolvimento rural. Porto Alegre: UFRGS, 2011.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

GREVE, J. T.; SALLES, J. A. A. A Gestão de Estratégias Com o Uso do Balanced Scorecard Garante o Alcance dos Objetivos Estratégicos? Revista Gestão Industrial, v.3, n.2, p. 57-73, 2007.

GRIGOROUDIS, E; ORFANOUDAKI, E.;.ZOPOUNIDIS, C. Strategic performance measurement in a healthcare organisation: A multiple criteria approach based on balanced scorecard. Omega, v.40, p.104–119, 2012.

GUELBERT, M. Estratégia de gestão de processos e da qualidade. Curitiba: IESDE, 2012.

HOQUE, Z. 20 years of studies on the balanced scorecard: Trends, accomplishments, gaps and opportunities for future research. The British Accounting Review, v.46,p.33-59, 2014.

KAPLAN, R. S.; NORTON, D. P. A estratégia em ação: balanced scorecard. Rio de Janeiro: Campus Editora, 1997.

_______. Organização orientada para a estratégia: como as empresas que adotam o balanced scorecard prosperam no novo ambiente de negócios. Rio de Janeiro: Elsevier, 2000.

_______. A execução premium: a obtenção de vantagem competitiva através do vínculo da estratégia com as operações de negócio. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

KONG. E. Analyzing BSC and IC’s usefulness in nonprofit organizations. Journal of Intellectual Capital, v.11, n.3, p. 284-304, 2010.

JOHANSON, U.; SKOOG, M.; BACKLUND, A.; ALMQVIST, R. Balancing dilemmas of the balanced scorecard. Accounting, Auditing & Accountability Journal, v.19, n. 6, p.842-857, 2006.

LOPES, M. T. R. Método participativo para desenvolvimento de indicadores de desempenho operacionais. Florianópolis: UFSC, 2007.

MACHADO, L. E. Gestão estratégica para instituições de ensino superior privadas. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

MARION, J. C. Contabilidade empresarial. 8. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

NEVES, M. A. O. Indicadores de desempenho em logística. Disponível em: . Acesso em: 27 set. 2014.

PALUDO, A. Administração geral e pública: para auditor fiscal da Receita Federal e auditor fiscal do trabalho. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

PINENO, C. A balanced scorecard model with incremental analysis for the motor homes industry based on survey results. Competitiveness Review: An International Business Journal, v. 19, n.1, p. 63-80, 2009.

POSSAMAI, O.; WAGNER, A.; LENZ, A. J. Inovações em processos de gestão: contribuições da implantação do BSC como sistema de gerenciamento estratégico. In: SIMPÓSIO DE ENGENHARIA E PRODUÇÃO, 20, 2013, São Paulo. Anais... São Paulo: SIMPEP 2013.

SELF, J. Metrics and management: applying the results of the balanced scorecard. Performance Measurement and Metrics, v. 5, n. 3, p.101-105, 2004.

SILVERMAN, D. Interpretação de dados qualitativos: métodos para análise de entrevistas, textos e interações. Traduzido por Artmed. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

SODERBERG, M.; KALAGNANAM, S.; SHEEHAN, N.T.; VAIDYANATHAN, G. When is a balanced scorecard a balanced scorecard? International Journal of Productivity and Performance Management, v.60, n.7, p. 688-708, 2011.

TOBIAS, A.C.B. O balanced scorecard na sua perspectiva financeira: caso prático. 2014. Disponível em: . Acesso em: 02 out. 2016.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

UMASHANKAR, V.; DUTTA, K. Balanced scorecards in managing higher education institutions: an Indian perspective. International Journal of Educational Management, v.21, n.1, p.54-67, 2007.

ZENG, K.; LUO, X. The balanced scorecard in China: does it work? Business Horizons, v.56, p.611-620, 2013.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v8i2.1101

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. revistageintec@gmail.com