O impulso da economia criativa no desenvolvimento regional no México / The improvement of the creative economy in regional development in Mexico

Áurea Machado de Aragão, Ilka Maria Escaliante Bianchini, José Nilton Melo, Antônio Martins de Oliveira Júnior, Suzana Leitão Russo, Gabriel Francisco da Silva, João Antônio Belmino dos Santos

Resumo


Este artigo busca analisar a economia criativa como propulsora do desenvolvimento da economia mexicana. Busca também, diferenciar o crescimento econômico moderno com base na constante inovação, desenvolvimento e atraso econômico, a partir da revisão dos aportes e limitações da economia. Utilizou-se o método bibliográfico de análise histórico-comparativo para atender à proposta de unificar os aspectos da teoria do desenvolvimento e da teoria institucionalista com alguns elementos do estatuto dos processos complexos, em particular, a dependência do caminho, aplicados a um caso no México, a fim de delinear o seu desenvolvimento histórico e a explicação para o desempenho econômico do país.

 


Texto completo:

PDF

Referências


AGHION, P. Inequality and Economic Growth. In: P. Aghion and J.Williamson. Growth, Inequality and Globalization. Cambridge: Cambridge University Press, 1998. p. 5–102.

ALVAREZ, J. R. Vidrio Soplado: Guadalajara: Planeación y promoción, AS, 1969. (Colección Jalisco en el Arte).

INEGI. Instituto Nacional de Estadística Geografia e Informática, 1988, 1993, 1990. Economic Census, 1988, 1993, 1999, Censo Econômico. México: INEGI. Disponível em: www.inegi.gob.mx. Acesso em: 08 dez. 2015.

FIRJAN. A cadeia da indústria criativa no Brasil. Estudos para o desenvolvimento do estado do Rio de Janeiro. n. 2, mai. 2008.

HOWKINS, John. The Creative economy – How people make money from ideas. London:

Penguin Books, 2001.

MIGUEZ, Paulo. Economia criativa: uma discussão preliminar. In: NUSSBAUMER, Gisele Marchiori (Org.). Teorias e políticas da cultura: visões multidisciplinares. Salvador: EDUFBA, 2007. Coleção CULT, 1. p. 96-112.

MUSACCHIO, Aldo; Read, Ian. Bankers, Industrialists, and their Cliques: Elite networks in Mexico and Brazil during Early Industrialization. In: Enterprise& Society, v. 8 n.4, 2008. p. 842-880 [Periódico revisado por pares]

PIERACCIANI, Valter. Usina de inovações. São Paulo, Ed. Canal Certo, 2008.

POLENSKE, Karen R. Contrasts in innovation: Why should low-tech be so dificult? In: The Economic Geography of Innovation. Cambridge University Press, 2007. p. 310-339.

SOLÍS, Ana Isabel (coord.); MEZA, Astrid. Indicadores económicos. Comercio servicios y turismo de Guadalajara . Guadalajara: Centro de Analisis estrategico empresarial. Mar.2011.

UNESCO. Creative economy: report 2010. Nova York: United Nation, 2010.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v7i1.1084

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. [email protected]