Prospecção sobre o conhecimento de espécies amazônicas - Inajá (Maximiliana maripa aublt.) E Bacaba (Oenocarpus bacaba mart.)

Sammy Aquino Pereira, Heleny Ponciano Alves, Cleiton Mota de Sousa, Germano Lobo Silva Costa

Resumo


As informações relacionadas à pesquisa cientifica e desenvolvimento tecnológico estão disponíveis nas redes, mas apesar disso a utilização das mesmas ainda é pouco significativa até mesmo no meio acadêmico. Este artigo pretende analisar a disponibilidade de informações referentes às palmeiras oleaginosas da Amazônia - inajá (Maximiliana maripa Aublt.) e bacaba (Oenocarpus bacaba Mart.), que podem ser utilizados na indústria alimentícia, de cosméticos, de produtos farmacêuticos e geração de óleo. Para tanto foi realizado a prospecção cientifica e tecnológica das espécies em estudo em bases de artigos e patentes. Constatou-se que as espécies Inajá e Bacaba são pouco estudadas no meio acadêmico e pouco protegidas em forma de patentes. O Brasil detém posição de destaque em publicações e patentes, mas com um número pouco expressivo quando se trata das espécies estudadas. Apresentou como principais áreas de aplicação tecnológica o desenvolvimento de óleos nas mais diversas aplicações humanas.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v3i2.106

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. [email protected]